-->



Fico estressada na hora de fazer as malas


Dia 3 de julho, sábado é meu aniversário.

Gosto muito de viajar. Quando viajo mostro fotos da viagem aqui no blog.
Mas tenho um problema. Tenho dificuldades para fazer as malas.
Não é que não goste de fazer malas. Mas não consigo organizar as coisas.
Já fiz listas, começo dias antes. Apesar disso, na véspera da viagem,
acabo ficando até de madrugada fazendo as malas. Isso me esgota e me deixa cansada e chateada.
Já desisti de viajar para não ter que passar por isso.
Se eu viajasse sempre para o mesmo lugar, não teria esse problema. Já saberia tudo o que levar.

Mas gosto de conhecer lugares diferentes. Uma vez pode ser uma viagem para os trópicos, com calor de quase 40 graus. Outra vez pode ser uma viagem para um lugar abaixo de zero. Assim o conteúdo da mala é totalmente diferente.

Numa de minhas últimas viagens, uma amiga me deu uma boa dica:
-Se faltar algo, compra. Vende-se de tudo em todo lugar hoje em dia.
Confesso que senti um grande peso sair da minha alma. Fiz a mala de qualquer jeito. Cheguei lá, faltou muita coisa, esqueci muitos itens, mas me virei sem precisar comprar muita coisa.

Achei que tinha resolvido meus problemas, mas minha próxima viagem será para um lugar distante de tudo. Não vai ter lojas por perto para comprar. Já estou ficando nervosa. Ainda não vou revelar para onde vou porque eu mesma estou duvidando dessa viagem. rsrs

Acho que meu filho percebeu essa dificuldade que eu tenho e ele mesmo começou a fazer a mala dele com 8 anos de idade. Ele me pergunta quantos dias de viagem, qual a temperatura local e faz sozinho. Nunca falei para ele fazer as malas. Ele começou sozinho. Ainda bem, menos trabalho para mim.
Quando ele era bebê, era uma loucura para mim. Além das minhas coisas, ainda tinha mamadeira, carrinho, brinquedos, comidinha de bebê, etc. Mas a vontade de viajar era maior e sempre viajei.

Por isso queria perguntar como vocês lidam com malas. Como preparam, se fazem lista. Se conseguem fazer tudo rápido e sem dor de cabeça.

Enfim, queria saber uma maneira de fazer minhas malas com prazer, sem sofrer muito.

Por outro lado, não gosto de reclamar porque só de poder viajar para longe eu deveria estar agradecendo aos céus de joelhos. Mas eu agradeço sim, todos os dias da minha vida.



Como tirar a fralda com sucesso

Só para ilustrar, estou colocando essa foto neste post. É uma foto de pacotes de fraldas que tirei no ano passado na Malásia. Foi em um supermercado em Kuala Lumpur. Essa fralda Mamy Poko existe no Japão também.


Vi um post no blog da Cynthia do blog Fala Mãe!
Hoje vou falar da minha experiência de desfraldamento do meu filho. Eu estava muito ansiosa e preocupada pois era a minha primeira experiência no assunto.

É importante lembrar que uma criança é diferente da outra. Cada uma tem seu tempo para tirar a fralda.

Hoje vou falar especificamente do 'desfralde' noturno. Tirar a fralda de dia é outra história diferente.

Venho falando que o amor de mãe e a intuição são muito importantes. Mas nesse caso, tenho que confessar que a teoria conta muito.

Ganhei um livro americano de uma amiga sobre 'potty training', que é como eles falam do desfraldar. Na época, 14 anos atrás não tinha tantas informações na internet como hoje.
A amiga Marcia também me deu muitas dicas valiosas.

Uma amiga chilena disse que no Chile é normal as crianças tirarem a fralda com 4 ou 5 anos (pelo menos na família dela era assim). Na época ela morava em Yokohama e se surpreendeu porque no Japão o normal é com 1 ano e meio a 2 anos. Confesso que não sei como fazem. Mas acho que o importante é não traumatizar a criança. Muitas vezes a criança tira a fralda mas fica traumatizada e não consegue segurar o xixi.

Numa dessas teorias dizia que chega um dia em que a criança não fará xixi na fralda da noite durante o sono. Quando chegar esse dia, tirar a fralda já na noite seguinte, sem medo, porque se deixar, a criança ficará preguiçosa e fará xixi durante o sono depois disso. Talvez até por anos depois. O importante é a mamãe ter coragem.

Seu filho fez xixi todas as noites desde que nasceu. Eu duvidava dessa teoria. Achava difícil que deixasse de fazer de uma noite para outra. Pareceu um milagre: mas aconteceu. Um belo dia, acho que meu filho tinha um ano e meio, quase dois: a fralda amanheceu sequinha! Tomei coragem e meio incrédula tirei a fralda já na noite seguinte. Sucesso! Depois daquele dia, ele nunca, nunquinha mais fez xixi de noite durante o sono.

Dizendo assim parece muito complicado. Mas minha mãe falou uma coisa de muita sabedoria (e humor). Não se preocupe porque até casar ele tira a fralda!

Não ligue muito para comentários alheios porque o filho é seu, cabe a você escolher o que é melhor para ele.

Com paciência, amor e atenção tudo dará certo.
Mamãe, papai e criança, coragem e sucesso!

Revista americana


Amanhã, 24 de junho é aniversário do meu filho.
Acho que vou fazer um bolo.

O assunto anterior estava um pouco pesado.
Então hoje vou escrever sobre uma revista.
Se chama Real Simple e eu gosto muito.


A revista traz uma proposta de vida mais simples.
Tem fotos bonitas, dicas para melhorar nossas vidas.
Ensina a simplificar com charme.
Nessa edição uma escritora escreve sobre 10 coisas
que aprendeu com o pai.
Uma delas me chamou a atenção.
Esse pai ensinou: quando brigar, brigue de mãos
dadas com a pessoa. Se brigar com a esposa, marido, a raiva
vai passando aos poucos. Não há como brigar
com alguém que segura sua mão com afeto.
Legal, não?

Mudando de assunto gostaria de fazer uma enquete.
Quem é o jogador mais bonito da Copa?
Para mim é Roque Santa Cruz do Paraguai.
Já viram?
Homens também, deem suas opiniões.

Aulinha de japonês:
Esse é especial para quem mora no Japão.
Vou escrever umas formas mais educadas de se falar.

Arigatoo gozai massu em vez de só arigatoo.

Onegai shimassu: quando precisar falar por favor.

Shitsurei shimassu é o que se fala quando se quer falar tchau, até logo.
Não se usa sayoonara a não ser que seja adeus para sempre. rsrs
obs: para amigos próximos pode usar o dyaanê no lugar de tchau.




Meu filho escreveu um artigo sobre a Copa do Mundo no blog Big Vício BBB.
Lá ele ensina a fazer uma vuvuzela com materiais que vc já tem em casa.
Aqui está o link:

Obs: a foto dos olhos não é dele.





Games, crianças e adolescentes



Ontem conheci uma mãe preocupada e (um tanto) desesperada.
Queria combinar um almoço ou café para outro dia para podermos conversar mais, mas ela disse que agora seria difícil. Os filhos já estão de férias e ela precisa ficar com eles. Perguntei se eram muito pequenos. Ela respondeu que um deles tem 13 anos e o outro 11, acho. Mas o problema é o seguinte: Se ela não ficar por perto controlando, o filho de 13 anos fica o tempo todo, horas a fio jogando video game.

Acho que esse é um problema comum para quem tem filhos que tem game em casa. O meu filho pelo menos não fica tanto brincando de game. Mas se deixasse acho que ele ficaria muito mais.
Os games são fascinantes e muito divertidos para as crianças. As empresas lançam consoles e games cada vez mais interessantes.

Aqui em casa sempre teve uma regrinha quanto a games. Meia hora por dia. Se não quiser assim, não joga.
Acho que proibir é pior. Já ouvi que crianças que as mães proibem que tomem Coca-cola acabam tomando e muuuuito na casa dos amiguinhos. Então nunca proibi games, mas coloquei limites.


-Todos os games que compramos para ele eu jogo pelo menos um pouco para ver como é, se dá para parar quando peço ou tenho que dar um tempo a mais. Mas jogo muito mal e sempre perco do meu filho, rs.

Aquela pessoa lá de cima disse que deixa o próprio filho comprar os games. Isso nunca fiz. Quando meu filho quer um game, eu pesquiso e se achar que é conveniente para a idade dele, aí compro. Senão nada feito. Percebi que ela ficou surpresa com isso.

Não proibo games, mas falo que ele tem que estudar também. Acho que tudo tem que ser equilibrado. Peço também para brincar nos parques, não ficar só em casa enfiado fazendo game. Aqui em Yokohama tem tanto espaço aberto bom para brincar! O melhor é tentar equilibrar as atividades.

Neste blog não sei se repararam, mas evito dizer: você deve fazer isso ou aquilo. Procuro sugerir apenas. É da minha personalidade. Mas nesse caso, sou categórica.
Acrescentando: acho que nunca se deve fazer do estudo uma moeda de troca. Explicando: aqui no Japão há pais que dão dinheiro, presentes, mais tempo para ficar no game caso o filho vá bem nos estudos. Mas isso é um erro porque no dia que não ganhar nada, cadê o incentivo para estudar? Pais assim estão criando filhos que só estudam movidos a suborno. O certo é desvincular presentes dos estudos. Ex: a criança vai ganhar presentes porque é aniversário, Natal, dia das crianças, etc. Este que vou mostrar agora é um caso extremo, mas uma família nikkei lá do Brasil que eu conhecia mimou os filhos. Davam presentes caros quando estudavam. Tinham 3 filhos, um deles parou de estudar, não sei os detalhes, mas se tornou um drogado e morreu de overdose. O outro se revoltou, parou de estudar, veio para o Japão trabalhar, viu que a vida é dura. Aprendeu a ser homem. Hoje é um empresário bem sucedido em São Paulo. Na mesma família dois exemplos diferentes.


Mudando de assunto, ganhei um lindo lenço ou echarpe de uma amiga que foi para a China. É de seda, muito macia, adorei. Muito obrigada, gostei muito.


Vi que gostaram da dica do gergelim para prisão de ventre. Antes de tudo, frutas e verduras ajudam a combater a dita cuja. Acho que muita gente já sabe, mas yogurte também é bom para os intestinos.

Aulinha de japonês
Acho que não apresentei verbos ainda.
Vamos ver alguns.

Míru 見る ver
Taberu 食べる comer
Aruku 歩く  andar
Tobu 飛ぶ voar
Ikíru 生きる viver

Bolo de milho


Estou meio lenta para novas postagens porque tenho visto os jogos da Copa. Aqui no Japão eles passam em horários impossíveis: 11 da noite e 3:30 da madrugada. Assim mesmo tenho acordado para assitir e tenho dormido nas brechas de jogos.


Vi este bolo no blog da Fabiana.
É um blog cheio de receitas deliciosas.

O meu ficou assim, bem amarelo, alto e fofinho.




Bolo de milho com fubá
Ingredientes:
1 lata de milho verde com a água
3/4 lata de óleo
1 lata de leite
1 lata de açúcar
1 lata de fubá
3 ovos
1/2 pacote de coco ralado
2 colheres de sopa (rasas) de fermento em pó.
Modo de Preparo:
Bater tudo no liquidificador, colocar em forma untada e enfarinhada e leve ao forno pré aquecido por cerca de 1 hora em 200º
Fazer o teste do palito. Espetar no bolo, se estiver seco, retire o bolo do forno e deixe esfriar.

Obs: eu retirei a água da lata de milho. Costumo retirar a água e lavar o milho porque acho que aquela água deve ser empesteada de conservantes.

Eis aqui uma fatia. Esse amarelo é irresistível. Adoro comidas bem amarelinhas.

As latas de milho do Japão são menores que as do Brasil. Mas como o forno é menor e as formas também são menores, usei a lata de milho japonesa para medir os ingredientes. Ficou um bolo pequeno, mas deu certo. Para quem estiver no Japão, use a lata japonesa como medida, dá certo também.

Mudando de assunto, muita gente aí sofre de prisão de ventre?
Já sabia de muitas coisas que funcionam, mas dessa nunca tinha ouvido falar:
Outro dia vi na TV japonesa que gergelim amassado ou triturado é bom para prisão de ventre. Mostrava gente que se curou de prisão de ventre braba com gergelim. Pode comer gergelim com arroz, colocar sobre a salada.
Eu gostei de uma receita simples que uma chinesa toma todos os dias pela manhã. Um copo de leite frio com 1 colher de sopa de gergelim triturado, 1 colher de sopa de mel. Misture tudo e beba. Eu uso metade de gergelim preto e metade de gergelim branco. A chinesa disse que a avó dela ensinou. Como os chineses são sábios, vale à pena experimentar.

Aulinha de japonês:

Eu sou brasileiro (a).
Watashi wa buradiru-din dessu.

Serve para masculino ou feminino.
Para quem é de Portugal:
Watashi wa porutogaru-din dessu.

Buraco da Guatemala








Muitos devem ter visto o buraco
que apareceu na Guatemala e devem ter
ficado intrigados.

Conheço um especialista no assunto e fui perguntar.
Esse post vai ficar parecendo uma aula,
portanto vou resumir a resposta.

Resumo:
Uma cavidade assim não acontece
de repente. É um processo de erosão
que acontece lentamente.


Resumindo é simples assim, mas para complicar mais um pouco,
escreverei mais para quem estiver curioso.

-Como se forma esse tipo de buraco?
-Na verdade seria necessário fazer
uma pesquisa de campo minuciosa.

-O que é pesquisa de campo?
-Significa ir ao local, fazer uma análise química do tipo de solo.
Além disso, teria que pesquisar toda a área em volta e ver o tipo de solo predominante.

-Sem ir ao local, dá para dar um chute?
- Todo chute em ciências é irresponsável, mas daria para dizer que esse tipo de cavidade demora muito para se formar.

-É natural ou feito pelo homem?
-Existem os dois tipos.
1) Natural: há infiltração de água e aos poucos, aos poucos mesmo vai se formando um buraquinho que com o tempo pode se tornar um buracão.
2)Feito pelo homem: na cidade de Oya no Japão, havia uma pedreira,
mas as rochas estavam no subsolo. Os homens foram fazendo túneis quilométricos para cortar e retirar as rochas.

Foram cavando, cavando. Hoje a pedreira está abandonada. Mas muitas vezes o solo que está acima cede e surge uma cratera. É preciso tomar cuidado.

Em ambos casos, um dia o solo acima cede e o buraco se torna visível.
Na foto da Guatemala vc pode ver, há uma camada de asfalto em cima de tudo.
O que está abaixo cedeu.

-Em São Paulo houve um buraco em cima das obras do metrô, é o caso de buraco feito pelo homem?
-Mais uma vez é difícil analisar sem conhecer o local e o terreno, mas é bem provável.

-O governo da Guatemala está dizendo que é impossível prever uma tragédia dessas.
-Com a tecnologia do Japão e Canadá dá para prever exatamente e com precisão.

-Como?
-Com aparelhos de última geração como sismógrafos, radares e sonares de solo.

-Nossa que coisa complicada!
-Sim, mas com esses aparelhos é possível detectar cavidades, ou popularmente buracos no subsolo sem escavar.

-Só tem no Japão e Canadá?
-São os que conheço atualmente. Muitos países tentam com tipos parecidos de aparelhos, mas dificilmente estão dando bons resultados. Os do Japão e Canadá tem dado resultados satisfatórios. É assim que se tem evitado esses desastres aqui no Japão.

-Quem tem essa tecnologia?
-Empresas privadas contratadas pelo governo. Aqui no Japão fazemos pesquisas de solo em estradas, aeroportos, usinas nucleares, cidades, enfim, onde for requisitado. Mas é uma área ultra especializada, pouco conhecida pelo público em geral mesmo aqui no Japão onde existe a tecnologia.

-Daria para falar mais sobre Oya?
-A cidade de Ooya fica na Província de Tochigi, um pouco ao norte de Tokyo.
Lá dá uma pedra chamada Ooya ishi, usada largamente em muros residenciais.
Não sei se já viram uma pedra esbranquiçada, um pouco verde e cheia de buraquinhos. É o ooya-ishi. Ela estava presente no subsolo da cidade. As pessoas foram cavando túneis para retirá-la. Esses túneis estão presentes em toda cidade. Não se sabe exatamente onde estão. Muitas vezes o solo cede e surge um buraco. Na cidade há um instituto criado especialmente com o intuito de prever esses buracos.

Vocabulário em japonês:
Kanbotsu - 陥没 - em japonês há uma palavra para designar esse buracos que surgem de repente: é a palavra Kanbotsu.
Ishi - 石- pedra

O post ficou um pouco longo, mas na verdade o assunto é muito mais complexo. Há estudos científicos a respeito. Mas espero ter respondido a contento. Me contem depois.




Projeção para a Copa, escrever português






O Alexandre do blog Lost in Japan e Fernanda do blog Fernanda Reali deram a sugestão do meu filho escrever algo sobre a Copa. Isso foi depois que comentei que ele só fala na Copa ultimamente. Pensei que fosse brincadeira, mas a Fernanda disse que é sério, então pedi para ele falar qualquer coisa sobre a Copa. Não foi bem o que eu esperava, mas hoje ele quer mostrar a projeção dele para esta Copa.

Ele acha que o Brasil vai passar em primeiro lugar na primeira fase, depois ganha da Holanda.
Depois ganha da França e vai para a final com a Itália. Isso se a Itália ganhar da Alemanha, Argentina.

Antes dessa lista ele tinha falado que achava que a Argentina ia ganhar. Isso por causa daquela promessa que o Maradona fez se a Argentina ganhasse, sabem qual? Eu pedi para mudar essa previsão porque isso não se fala para os brasileiros. Não é mesmo?

Ele estuda em escola japonesa, mas eu ensinei a escrever português desde os 6 anos de idade. Geralmente ele não capricha tanto na letra, mas como era para vcs verem, hoje ele caprichou. Fiquei surpresa ao ver que a letra dele é bem parecida com a minha.

Vejo que a maioria dos filhos de brasileiros que moram fora muitas vezes até falam mas poucas vezes escrevem português. É uma pena. Mas o meu filho está aí para provar que aos poucos e com constância é possível que o brasileirinho que cresce fora do Brasil aprenda a ler e escrever português. É preciso que o pai ou mãe se empenhem um pouco (quase) todos os dias. Fica aí mais uma dica para os brasileiros que moram fora do Brasil.

Escrever português é difícil. Ele nunca acentuou Coreia, plateia (apesar da minha insistência)rsrs. Achei engraçado quando apareceu a nova ortografia. Ele poderá continuar sem acentuar essas palavras. Mas agora não está mais errado.



Presentes





Falando do post anterior, que bom que vcs gostaram do assunto. Esqueci de escrever lá: por favor comentem com seus maridos, namorados e pessoas que gostem de futebol. É uma informação que saiu num jornal japonês e acho que o pessoal vai gostar. Meu filho também ficou contente com as sugestões.

Hoje estou colocando fotos dos presentes que ganhei da Marília do blog Segredinhos do Casamento que a sua mãe não te contou. Quando vi o nome achei muito sugestivo e fiquei curiosa. 

Muito obrigada Marília, ficamos todos muito contentes aqui em casa.


Eu também acho que enviei algumas coisas para ela,
mas acabei recebendo muito mais do que dei.
Na foto acima estão uma camiseta do Rio de Janeiro,
cidade onde ela vive. 


Recebi também um livro, este da foto.
É um livro muito interessante.
Mas para não perder a graça,
acho melhor não falar como é a história.
Recomendo, ele é muito bom.
Ai que vontade de contar,
mas vou resistir.
Tempos atrás, eu escrevi num post que é difícil
encontrar livros em português no Japão.
Quando encontramos são muito caros.
A Marília teve a generosidade de me enviar um.



Um bloco de anotações com capa
do Rio de Janeiro.
Porta-copos com motivos
das calçadas do Rio e São Paulo.

*************

Agora vou falar de presentes que ganhei
da amiga Noriko de Kamakura.

Este acima é um fukin de Nara.
Fukin em japonês quer dizer pano de limpeza.

Este acima se chama Aburatori Gami.
Papel para retirar a oleosidade da pele.
Tem pedacinhos de ouro e prata na folha.
Obrigada Noriko por estar sempre se lembrando
de mim nas suas viagens.

Aulinha de japonês.
Hoje vou colocar palavras relacionadas a este post:

Kin -金- Ouro
Guin 銀- Prata

Fukin - 布巾-Pano para limpeza


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 

  © Layout Elisa no Blog por Fabiano Mayrink Blog designer.