Pular para o conteúdo principal

Sakurá em São Paulo.


Nessa época há flores de cerejeira em São Paulo. Vc que mora na cidade já viu em algum lugar? Na frente dessa casa há duas árvores de cerejeira.

Nunca imaginei que veria sakura em julho. A época do sakurá em São Paulo é em setembro, na primavera. Mas esta espécie dá no inverno em São Paulo.

Se vc mora ou anda pela região, olhe em volta, quem sabe vc não encontra sakura pelo seu caminho? Fique com o olhar atento, pois tem gente achando que é ipê roxo! rsrs

Resolvi aceitar encomendas de bolos. Quem quiser, entre em contato comigo.
E-mail: elisa.art1@gmail.com

Meu filho quer criar um blog e está pedindo para divulgar de antemão aqui no meu espaço, ou melhor nosso. Ele gostaria que vocês meus leitores de sempre dessem uma olhada quando estiver pronto.
Muitas vezes comento sobre cada um de vocês que conheci através do blog. Aguardem, ele vai voltar de viagem e começará a postar.








Comentários

Bia Jubiart disse…
De longe dá p/ enganar mesmo!

Oi Elisa, te perdi, mas achei de novo, saudades...

Que coincidência! Somos cancerianas, vc faz niver no dia da independência dos EUA e eu no dia da revolução francesa.

Bolo lindo! Muitos anos de vida p/ vc, vamos celebrar!!!

Beijoooooooo
Bah disse…
Oi querida, há tempos que não passo aqui.

Nunca reparei em sakuras em SP, mas enfim... lindas...

Aceitando encomendas de bolo? Com certeza vale a pena do jeito que vc capricha.

Kisu!
Oi Elisa, tudo bem?

Tirando aqui no Japão (que tem até uma cerejeira na entrada de casa), o máximo que vi de cerejeira quando estava no Brasil era em Garça (interior mais ainda), que todo ano eu levava minha mãe e as tias para lá pra ver os sakurás e comprar os okashi de lá, nem sei se a firma existe mais, mas chamava Ogawa. Comprava aqueles okoshi, karinto e aquelas bolinhas de farinha (esqueci o nome), e outros petiscos mais.
Essa foto ficou linda, com as flores bem abertas, delicadas...

Encomendas de bolo? Vale a pena sim, Elisa! Você faz cada bolo lindo e delicioso! Vai fazer sucesso!

Beijao!
Desabafando disse…
Pois aonde vc viu isso em SP? rrsrsrs...fiquei curiosa pq mesmo circulando bastante pela cidade nunca vi.
Elisa minha amiga... saudades de vc, viu? Como tá tudo por ai, em SP?
Lembro de ver mto sakurá no Parque do Carmo e em Campos do Jordão.

aqui tá um calor...mas tá gostoso.
bj e um bom dia pra vc e o filhão!
Olá Elisa, tudo bem?

Nossa, acho que estou totalmente atrasada, me desculpe pelo sumiço! E surpresa por estar em SP!!!!!

Pelo visto está se adaptando muito bem por aqui! Deve estar supresa com muitas coisas por aqui né...

Confesso que não percebi e mal tive o privilégio de ver uma cerejeira onde moro, tampouco florida... o que mais se vê são os ipês mesmo, mas cerejeira... lembro que onde poderia ter seria onde meu tio morava numa chácara em que o meu avô havia plantado um pé de cerejeira trazido do Japão, e florescia todos os anos... bateu saudades!!!

Beijos, ótima semana!
Denise.
Georgia disse…
Elisa, vc sumiu! Está no Brasil logo agora que estou aqui no Nihon...
Manda notícias, bjus!!!
Mônica disse…
Elisa
Que vontade de comer um bolo seu!
As meninas me prometeram me levar .
E vou ficar aguardando o novo blog de seu filho.
Ele está gostando da viagem?
Aqui em Bh não vi nenhuma cerejeira mas sou tão distrais que posso estar confundindo co ipê roxo

com carinho MOnica
Silvia disse…
Oi, Elisa
que bom te emcontrar novamente. E pelo que vejo agora mostrando muitas dicas de Saõ Paulo.
Abraço

Postagens mais visitadas deste blog

7. Guêr ou ger, tenda-vivenda da Mongolia

Hoje vou mostrar como se monta uma tenda ou casa mongol. Ela se chama ger (guêr). Construir o ger fazia parte desta nossa viagem.
Na época que eu fui a temperatura estava entre 10 a 15 graus de manhã e a noite. Durante o dia estava entre 20 e 25 graus. Foi agradável e deu para fugir um pouco desse calor infernal que está fazendo no Japão esse ano.
Primeiro coloca-se a porta e estrutura da parede.
Em seguinda monta-se o pilar central dentro do ger. Colocam a base do teto. Olhem que gracinha esse menino no centro da foto.
Não sei se esse garotinho queria ajudar ou brincar, mas lá estava ele escalando a grade.
O esqueleto do ger é coberto com pano e cobertor de lã de camelo.
Cobrem o teto e paredes com tecidos grossos para proteger do frio. O menino ainda está lá.







Cobrem com o tecido branco característico de todos os gers. Meu filho quando pequeno também era assim, queria ajudar em tudo. Aliás, ele ajudou muito para fazer esse ger. E gostou da experiência.
Fiquei refletindo. Nós das cidades quando const…

8. Mongolia: roupas e comida

Hoje vou falar da roupa e comida da Mongólia.
Eu sei que Mongólia tem acento. Mas no título não coloquei de propósito porque assim, podem fazer um hit em inglês e pelo menos poderão ver as fotos. Já com acento acho que não aparecerá nas buscas em inglês.
A roupa que as mulheres estão usando se chama dêr. É longo, quentinho, protege bem do frio.
Com essa roupa as mulheres podem se afastam um pouco do ger (tendas) e vão fazer xixi. Elas se agacham e o dêr cobre tudo. Muito prático. Dá até para andar a cavalo.

A roupa típica dos nômades para homens também se chama dêr. O Dêr dos homens não é estampado como das mulheres. Esses dois homens, o do centro e do lado esquerdo usam dêr cinza com faixas coloridas. O homem da foto abaixo usa dêr azul. Na cabeça usam boné ou chapéu tipo ocidental. Eu acho que chapéu e bonê não combinam com o dêr. Mas o chapéu típico é assim: Imagine a metade de um coco. Em cima do coco, bem no meio fica um chifre comprido com uma bolinha na ponta. É meio esquisito, acho que por i…

Verduras no vapor

Ultimamente tenho usado essa cuscuzeira para cozinhar verduras e legumes. No vapor. Sempre achei que demorava muito para fazer batatas cozidas. Leva todo o tempo de esquentar a água. No vapor vai muito mais rápido. Depois da batata, experimentei cozinhar abóbora como na foto. Deu certo com vagem, espinafre (horensô), batata doce, quiabo, aspargos, etc.
É mais rápido, ecológico e as verduras ficam mais gostosas. Acho que perdem menos nutrientes porque eles não vão embora junto com a água do cozimento. Adoro soluções assim, boas em muitos sentidos.
Comprei essa cuscuzeira em São Paulo. Vc pode encontrar em casas do norte, que são lojas de produtos do nordeste. Lá no nordeste essa panela é muito usada para fazer cuscuz.
No começo eu só usava para fazer cuscuz. Hoje uso também para cozinhar verduras no vapor.