Pular para o conteúdo principal

Livro sobre TDA


Estou lendo um livro muito interessante
que se chama "Mentes Inquietas"
da autora e médica Ana Beatriz Barbosa Silva.
O livro se trata de pessoas que têm a mente inquieta.
Fala do Transtorno de Déficit de Atenção , TDA.

Segundo a autora são características dos TDAs:
(vou colocar apenas algumas de forma suscinta)

-impulsividade
-hiperfoco
-criatividade
-faz várias coisas ao mesmo tempo e não acaba nenhuma
-há o tipo com hiperatividade e o tipo sem hiperatividade
-pensamentos a mil
-desorganização
-distração
-esquecimento
entre outros...

Acrescentando: Por favor, não vá pensando que é TDA
porque tem um ou dois sintomas citados acima.
A autora mesma diz que qualquer pessoa pode apresentar
um ou outro desses sintomas mesmo sem ser TDA.
Para saber é melhor consultar o médico.

Há pessoas com tendência acentuada e outras com sintomas leves.

Conhece alguém assim? Ou mesmo vc se identificou?
Então leia o livro. Ele pode ajudar a pessoa com TDA a se compreender melhor.
Nesse post não dá para falar do livro todo. Nem poderia para não estragar
a surpresa de quem pretende ler.

Comentários

Oi?! Passei por aqui! Boa semana!
Eu acho muito boa a indicação deste livro! Infelizmente hj em dia está cada vez mais comum a TDA. Até mesmo pessoas que não eram sofriam de TDA passam a tê-la (por causa da vida corrida, fazer muita coisa ao mesmo tempo, estudar muita coisa, ver muita coisa, tudo muito rs).

Vou procurar o livro! E de leve eu me acho TDA moderado rs.
bjos e bom descanso
Angela disse…
Ótima dica, este livro ajuda a entender melhor vários problemas que se confundem com preguiça, irresponsabilidade e etc...
Aceitar as pessoas como elas são é um exercício de humildade e sabedoria pois, nada é por acaso.
Bjs
Desabafando disse…
Apesar de ter a cabeça com pensamentos a mil não me enquadro nos outros sintomas...rsrsrs...faço sim muita coisa ao mesmo tempo mas não deixo nada inacabado senão fico sem dormir...rsrsrs...

Acho que o stress da vida atual com muita cobrança favorece esse tipo de distúrbio.

E muitooooo obrigada pelo carinho de sempre viu! fiquei tão feliz com seu comentário pelo 1 ano de blog! rsrsrs...obrigada pela amizade.
Suki-yo!
Jorge disse…
Elisa,

uma excelente dica. São dificuldades que muitas pessoas tem e não sabe.

Beijo!!!!
AL. disse…
muito bom, Elisa!
é muito bom que mais e mais pessoas identifiquem este problema, que muitas vezes passa sem o correto diagnóstico.

Besos e boa semana!
pequena disse…
Amiga dei esse livro de presente para o meu namorado, ele é assim rssss

saudade de vc flor!
to passando pra conferir suas novidades e deixar um mega beijo rsss

xero flor e boa semana pra vc!
Mônica disse…
Elisa
Chegamos muito bem graças a Deus. Obrigada pelo carinho por nós. Mamae adorou a homenagem.
Mas está muito cansada. Ontem dormiu o dia inteirinho e hoje ainda não animou a bordar.
Mas correu tudo MARAVILHOSO.
Ambas já estáo trabalhando e ontem fui arrumar parte da minha bagunça.
Voce nos cativa com estes pequenos e grandes gestos de atenção por nós e por mamae.
Com carinho MOnica
Meri Pellens disse…
Aff... Sou TDA! rs... Quem sabe, ui!
Mas não espalha! Que bom q vc disse p quem lesse não ficar se achando com TDA, pois eu vivo vendo defeito de fábrica em mim rs...
Bjos na alma, querida!
O livro deve ser mesmo bom. Qual é a editora?

Ah, esquecimento e desorganização eu também tenho às vezes, e isso me prejudica muito. Anteontem mesmo eu faltei ao trabalho por estar sem o meu aparelho dentário temporário, que eu não saio de casa sem ele, e ele estava bem embaixo do meu nariz. Só que, como eu o havia guardado em um lugar não habitual, esqueci completamente onde estava.

Coisas de doido...
c r i s disse…
Informação nunca é demais, boa indicação...bjinho querida!!
Obrigada Elisa, então qdo eu chegar eu justifico.
Menos uma coisa pra pensar!!rs
bjs
Sika disse…
Oi Elisa eu adoro ler, mas a correria aqui está grande e não tenho tido tempo para conseguir sentar e ter este prazer.Mas com certeza este livro é muito bom e informativo.
bjs
Mônica disse…
ElisaS
só hoje vi os selinhos que você me dedicou a mim e a minhas irmãs.nO OUTRO BLOG
Vou colocar no meu blog amanha.
com carinho
monica
MUITO OBRIGADA
RECEBI SEU EMAIL E FICO AGRADECIDA E CONTENTE DE SABER QUE ANDREA E EU AGRADAMOS a uma criança.
A MARILIA DISSE QUE NÃO TINHA COLOCADO AINDA NO CORREIO POR FALTA DE TEMPO
COM CARINHO
MAIS UMA VEZ
Fabiano Mayrink disse…
Bom dia Elisa!

O seu post de hoje me fez pensar, sera que sou de leve grau a esta coisa de TDA,

sou ancioso, as vezes faço varias coisas ao mesmo tempo, enjoo com a mesmice do trabalho, sonho muito, e as vezes penso e converso comigo mesmo ate em momentos do sono... as vezes minha cabeça ate doi por conta de ficar conversando comigo mesmo ai ai,

bom disse Alice "os loucos sao os melhores" hehe

ate em certo grao rs!
Fabiano Mayrink disse…
Elisa te enviei um e-mail, queria conversar com vc, bjs!
Eliene Vila Nova disse…
oi amiga que saudades de você
desculpa o sumiço, fiquei um tempo ausente da blogosfera e só agora estou atualizando minhas visitas e claro não poderia deixar de vir aqui.
adorei a postagem, mas confesso que gostei mesmo foi do seu acarajé,rsrs.
um final de semana abençoado.
beijos

Postagens mais visitadas deste blog

7. Guêr ou ger, tenda-vivenda da Mongolia

Hoje vou mostrar como se monta uma tenda ou casa mongol. Ela se chama ger (guêr). Construir o ger fazia parte desta nossa viagem.
Na época que eu fui a temperatura estava entre 10 a 15 graus de manhã e a noite. Durante o dia estava entre 20 e 25 graus. Foi agradável e deu para fugir um pouco desse calor infernal que está fazendo no Japão esse ano.
Primeiro coloca-se a porta e estrutura da parede.
Em seguinda monta-se o pilar central dentro do ger. Colocam a base do teto. Olhem que gracinha esse menino no centro da foto.
Não sei se esse garotinho queria ajudar ou brincar, mas lá estava ele escalando a grade.
O esqueleto do ger é coberto com pano e cobertor de lã de camelo.
Cobrem o teto e paredes com tecidos grossos para proteger do frio. O menino ainda está lá.







Cobrem com o tecido branco característico de todos os gers. Meu filho quando pequeno também era assim, queria ajudar em tudo. Aliás, ele ajudou muito para fazer esse ger. E gostou da experiência.
Fiquei refletindo. Nós das cidades quando const…

8. Mongolia: roupas e comida

Hoje vou falar da roupa e comida da Mongólia.
Eu sei que Mongólia tem acento. Mas no título não coloquei de propósito porque assim, podem fazer um hit em inglês e pelo menos poderão ver as fotos. Já com acento acho que não aparecerá nas buscas em inglês.
A roupa que as mulheres estão usando se chama dêr. É longo, quentinho, protege bem do frio.
Com essa roupa as mulheres podem se afastam um pouco do ger (tendas) e vão fazer xixi. Elas se agacham e o dêr cobre tudo. Muito prático. Dá até para andar a cavalo.

A roupa típica dos nômades para homens também se chama dêr. O Dêr dos homens não é estampado como das mulheres. Esses dois homens, o do centro e do lado esquerdo usam dêr cinza com faixas coloridas. O homem da foto abaixo usa dêr azul. Na cabeça usam boné ou chapéu tipo ocidental. Eu acho que chapéu e bonê não combinam com o dêr. Mas o chapéu típico é assim: Imagine a metade de um coco. Em cima do coco, bem no meio fica um chifre comprido com uma bolinha na ponta. É meio esquisito, acho que por i…

Verduras no vapor

Ultimamente tenho usado essa cuscuzeira para cozinhar verduras e legumes. No vapor. Sempre achei que demorava muito para fazer batatas cozidas. Leva todo o tempo de esquentar a água. No vapor vai muito mais rápido. Depois da batata, experimentei cozinhar abóbora como na foto. Deu certo com vagem, espinafre (horensô), batata doce, quiabo, aspargos, etc.
É mais rápido, ecológico e as verduras ficam mais gostosas. Acho que perdem menos nutrientes porque eles não vão embora junto com a água do cozimento. Adoro soluções assim, boas em muitos sentidos.
Comprei essa cuscuzeira em São Paulo. Vc pode encontrar em casas do norte, que são lojas de produtos do nordeste. Lá no nordeste essa panela é muito usada para fazer cuscuz.
No começo eu só usava para fazer cuscuz. Hoje uso também para cozinhar verduras no vapor.