Pular para o conteúdo principal

11.Mongólia


Sobre o macarrão do post passado. Se fosse macarrão italiano gelado, nem eu comeria. Mas o somen japonês é outro tipo de massa com outro molho. Praticamente outro prato completamente diferente, por isso é que dá para a gente comer. Eu acho gostoso. Se me perguntarem qual, acho que gosto até mais de macarrão frio como somen, hiya-mugui, hiyashi chuka e zaru soba. Parece grego para vcs?

Hoje vou continuar contando sobre a viagem para a Mongólia.
Eu tinha parado ainda nas estepes no home stay no guêr (tenda ou casa simples) dos nômades.


Na foto acima o nosso banheiro. Um buraco cavado no chão e coberto com pano.

No dia da partida choveu um pouco. Nessa foto dá para ver a nuvem cinza ao longe caindo em forma de chuva. Nunca tinha visto chuva assim.

A senhora mongol nos presenteou com uma bebida de leite de cavalo, ou melhor de égua fermentada. Em japonês chama de banhushu. Em mongol ailag. Nos braços do senhor do lado direito, várias garrafinhas de ailag. Um dia ou dois depois, essa bebida estourou nas malas de todos. Nunca vi bebida tão explosiva.


Comentários

Desabafando disse…
A foto da chuva é linda mas acho que nao teria coragem de beber esse leite aí não!
Mônica disse…
Elisa
Leite de cavalo?
E voce experimentou? Era gostoso?
Eu detesto leite de vaca, de soja.Qualquer um. Só bebo se for muito necessário.
Mas mamae toma um litro por dia. Ela foi criada com leite.
Toma a toda hora.
Tenha um bom domingo
com carinho MOnica
Mônica disse…
Elisa
Leite de cavalo?
E voce experimentou? Era gostoso?
Eu detesto leite de vaca, de soja.Qualquer um. Só bebo se for muito necessário.
Mas mamae toma um litro por dia. Ela foi criada com leite.
Toma a toda hora.
Tenha um bom domingo
com carinho MOnica
Elisa no blog disse…
Monica,
Eu tomei o leite de cavalo fermentado. Todos que tomaram tiveram diarréia pois é muito forte para intestinos e estômagos desacostumados. Só meu filho tomou e não sentiu nada. ele adorou essa bebida.
Oi, Elisa! Obrigada pelo domingo passado, nem deu tempo de escrever... Aquele curry estava mesmo uma delícia! Esqueci-me de pegar o meishi daquela barraca!
Sobre a Mongólia.
Leite de égua? Pra falar a verdade, o mais pitoresco dos leites que já tomei foi o de cabra e ainda achei muito forte.
Será que as garrafas estouraram porque o leite de égua fermentou? Vai saber, né?
Beijao e boa semana !!! :)
Elisa no blog disse…
Kiyomi,
sim, o leite fermentou e como! Estava espumando. Uma japonesa do nosso grupo foi abrir, a tampa voou com tanta força que o dedo polegar dela ficou roxo com o golpe. Juro, eu vi o dedo. Eu vi minha garrafinha espumando na minha mala, por isso levei a minha garrafinha para o banheiro, abri e parecia champagne, só que muito mais forte. Sujou todo o espelho e pia. um desastre.
Sim o curry estava uma delícia, assim como a samosa. O rest. se chama Mumbay.
bj
elisa
lolipop disse…
Olá Elisa!
Acho que prefiro meu leite de soja mesmo...rsrs
Sabe que achei curioso que lembro de num post anterior sobre a viagem, seu filho ter comido também muito duma sopa feita com um caldo que saía de dentro dum animal que assavam enchendo com pedras...era mais ou menos assim?
Ele ficou fã da comida lá, né?
BEIJOSSSSSS
Eu adorei essa foto da chuva! que linda, parece uma cortina de água que cai ao longe.

Esse leite, podiam vender no lugar do activia rs. ia esvaziar a cabeça de todo mundo rs.
mas explode? então é tipo um iogurte, com bactérias?

fiquei curioso do sabor. Veja que engraçado, a gente bebe leite de vaca, pq é acostumado. Mas vaca e égua, não são animais do mesmo jeito? até mesmo o ovo, se analisarmos, é esquisito (pq é um óvulo e...da onde que ele sai mesmo?rs_)

foi bom vc explicar do macarrão! pq o pessoal imagina q seja tipo spaguetti. eu ADORO macarrão soomen e cia. gelado, como até no frio, pq é bom.

bjs! adorei o post!
mar e ilha disse…
Elisa,
eu nao beberia esse leite de jeito nenhum pque DETESTO leite. Se não gosto dos "normais" imagina de egua.
Essa viagem que fez foi muito diferente. Bjs. e bom domingo
Telma Maciel disse…
Eu ADORO ver a chuva caindo ao longe... essa nuvem cinza é linda e vejo bastante por aqui!
Esse leite... esse banheiro... ai, que sofrido! Eu sou MTO fresca pra dar conta disso! huhuhu
Um beijo
Georgia disse…
Elisa, fico impressionada como seu filho é bom de boca né? Ai,não tomaria esse leite não, tem gosto de yakult?

Bjus, ótima semana pra vc!!
Denise disse…
Oi Elisa,

Gostei da foto de chuva, me lembra quando viajo ao interior de SP e na estrada é comum ter esse tipo de cenário numa época quente...
E o leite não tomaria pois do jeito que meu estômago é fraco certamente estaria indo ao banheiro direto! Se explodiu então nem experimentaria! rs

Bjs
Satie disse…
Linda a foto da chuva, e gente nunca repara nessas coisas!
Eu tbm fiquei curiosa qto ao sabor do leite de cavala... rs
esses banheiros me lembram qdo meus pais nos levavam acmapar qdo eu era crianca, banheiro era buraco com cerquinha rsrs
adorei!
Mônica disse…
Elisa
Aprobeitou bem o domingo? Tenha uma bela semana. Agora quando for numa fazenda ver uma egua vou pedir um pouco do leite e ver o que acontece.
com carinho MOnica
Anônimo disse…
Отличная статья! большое спасибо автору за интересный материал. Удачи в развитии!!! :)
--
http://www.miriadafilms.ru/
[url=http://mpeg4.com.ru/]Другое скачать[/url]

Postagens mais visitadas deste blog

7. Guêr ou ger, tenda-vivenda da Mongolia

Hoje vou mostrar como se monta uma tenda ou casa mongol. Ela se chama ger (guêr). Construir o ger fazia parte desta nossa viagem.
Na época que eu fui a temperatura estava entre 10 a 15 graus de manhã e a noite. Durante o dia estava entre 20 e 25 graus. Foi agradável e deu para fugir um pouco desse calor infernal que está fazendo no Japão esse ano.
Primeiro coloca-se a porta e estrutura da parede.
Em seguinda monta-se o pilar central dentro do ger. Colocam a base do teto. Olhem que gracinha esse menino no centro da foto.
Não sei se esse garotinho queria ajudar ou brincar, mas lá estava ele escalando a grade.
O esqueleto do ger é coberto com pano e cobertor de lã de camelo.
Cobrem o teto e paredes com tecidos grossos para proteger do frio. O menino ainda está lá.







Cobrem com o tecido branco característico de todos os gers. Meu filho quando pequeno também era assim, queria ajudar em tudo. Aliás, ele ajudou muito para fazer esse ger. E gostou da experiência.
Fiquei refletindo. Nós das cidades quando const…

8. Mongolia: roupas e comida

Hoje vou falar da roupa e comida da Mongólia.
Eu sei que Mongólia tem acento. Mas no título não coloquei de propósito porque assim, podem fazer um hit em inglês e pelo menos poderão ver as fotos. Já com acento acho que não aparecerá nas buscas em inglês.
A roupa que as mulheres estão usando se chama dêr. É longo, quentinho, protege bem do frio.
Com essa roupa as mulheres podem se afastam um pouco do ger (tendas) e vão fazer xixi. Elas se agacham e o dêr cobre tudo. Muito prático. Dá até para andar a cavalo.

A roupa típica dos nômades para homens também se chama dêr. O Dêr dos homens não é estampado como das mulheres. Esses dois homens, o do centro e do lado esquerdo usam dêr cinza com faixas coloridas. O homem da foto abaixo usa dêr azul. Na cabeça usam boné ou chapéu tipo ocidental. Eu acho que chapéu e bonê não combinam com o dêr. Mas o chapéu típico é assim: Imagine a metade de um coco. Em cima do coco, bem no meio fica um chifre comprido com uma bolinha na ponta. É meio esquisito, acho que por i…

Verduras no vapor

Ultimamente tenho usado essa cuscuzeira para cozinhar verduras e legumes. No vapor. Sempre achei que demorava muito para fazer batatas cozidas. Leva todo o tempo de esquentar a água. No vapor vai muito mais rápido. Depois da batata, experimentei cozinhar abóbora como na foto. Deu certo com vagem, espinafre (horensô), batata doce, quiabo, aspargos, etc.
É mais rápido, ecológico e as verduras ficam mais gostosas. Acho que perdem menos nutrientes porque eles não vão embora junto com a água do cozimento. Adoro soluções assim, boas em muitos sentidos.
Comprei essa cuscuzeira em São Paulo. Vc pode encontrar em casas do norte, que são lojas de produtos do nordeste. Lá no nordeste essa panela é muito usada para fazer cuscuz.
No começo eu só usava para fazer cuscuz. Hoje uso também para cozinhar verduras no vapor.