dúvidas


Muito obrigada pelas respostas sobre o do e does, ijime, bullying.

Acho que expliquei mal a dúvida sobre o do e o does.
Não foi quanto ao uso delas.
A dúvida é a seguinte:

Em inglês falamos por exemplo:
-Do you like me?
Em português fica assim:
-Você gosta de mim?
Numa tradução direta ficaria:
-You like me? Mas isso está errado, é preciso usar do e does.

A dúvida do meu filho não é quanto ao uso, é por que se usa do e does.
Não só porque, mas desde quando é usado. O Alexandre de Nagoya disse que talvez venha do alemão. Eu também acho, porque do latim não veio. Nas línguas de origem latina não se usa o do e does. Na verdade eu sempre usei do e does, me acostumei e nunca parei para pensar porque se usa do e does. Em português ele não é necessário.

Procurei na internet mas não achei.
Alguma luz sobre o assunto?
Agrade todas as respostas nos comentários de ontem.

***************************************

Dear friends,
Obrigada pelas mensagens carinhosas. Felizmente, melhoramos todos aqui em casa.
Já passou febre, virose e tudo.

Meu filho tem feito perguntas difíceis de responder.

Por que as pessoas fazem idimê?
Idimê em japonês quer dizer bullying, ou seja judiar alguém.
Isso é muito comum nas escolas japonesas.
Eu tentei responder mas parece que nenhuma resposta foi boa o suficiente.

Vc que conhece a sociedade japonesa tem algum palpite?
Ou vc que conhece a fundo a alma humana, poderia me ajudar?
Vc que é psicólogo, o que pensa sobre o assunto?

O idimê no Japão existe não só nas escolas, mas em empresas e dentro das famílias também.
Seria algo mais presente na sociedade japonesa que em outras?
É evidente que existe gente muito legal, bondosa e amável aqui no Japão. Ainda bem.

*************************************************************

Outra pergunta que ele me fez é a seguinte:
Por que se usa o "do" e "does" em inglês.
Eu sei que se usa, mas não sei por quê.

Vc sabe?
Alguém sabe a origem?
Desde quando é usado?

Chega de perguntas por hoje, estou parecendo criança.


Comentários

Perguntas complicadas... mas o ijime está presente em toda a sociedade. Algumas fazem mais diretamente, como a japonesa. Outras mais veladamente como a brasileira. Na escola brasileira o pessoal não perdoa quem é mais pobre, ou tem dificuldade pra aprender. Que tem algum problema físico ou pertence a minoria.

No Japão o ijime ganha uma conotação maior, pelo fato da população ser muito homogênea (é todo mundo japonês, todo mundo classe média). Dai quem é diferente...

Pelo menos aqui em Aichi meus sobrinhos estudaram sempre em escola japonesa e não tiveram nenhum problema com ijime. Ao contrário eles tem bastante amigos japoneses e se dão bem... vai ver já se acostumaram melhor com os estrangeiros.

do e does... acredito eu que seja alguma coisa ligada à raiz da lingua, o antigo alemão... não sei. Chute rs.
bjos
Falando em ijime...olha só toda a polêmica do BBB deste ano, que o povo tá todo aplaudindo um homofóbico. é ijime em rede nacional, só que disfarçado. Talvez se fosse aqui o povo diria diretamente que não gosta dos gays... não sei se consigo explicar a diferença entre o ijime do Japão e Brasil.

(Off topic) Hj o blogspot tá complicado rs. Não consigo postar nada. Bjos e que bom que vcs estão todos com saúde!
Fala Mãe! disse…
Engraçado Elisa, que eses dias eu estava me fazendo a mesma pergunta que seu filho fez. Me perguntada sobre os pais dessas crianças que fazem bullying, quem são eles? Pois aqui aparentemente ao meu redor, os pais educam e dão bons exemplos aos filhos, mas a gente sabem que em meio a classe média principalmente, existe muito isso. Será um mal exemplo de um pau que mostra que acaba passando ao filho que "a família deles" é especial e mnais importante do que as outras? Também gostaria de saber, afinal tenho dois meninos que vão enfrentar a vida daqui a pouco.
beijos e que bom que estão bem por aí...
Cynthia
Desabafando disse…
Olha, eu acho que quem pratica o bullying é cruel e/ou quer extravasar sua maldade atingindo alguém mais fraco que ele ou que não consegue se defender. Quem faz isso quer fazer com que o outro se sinta inferior pra que ele (agressor) se sinta superior e com um falso poder. Na minha infância e adolescência inteira sofri com isso (tanto de colegas quanto do diretor da escola) e isso gerou traumas que custei (e levei anos) a reparar por isso te dou um conselho, fique atenta a seu filho, porque ele fez essa pergunta? não estaria ele sofrendo com isso? o bullying acaba devagarinho com a autoestima de quem o sofre e pode prejudicar seus relacionamentos no futuro. Fique atenta e se for o caso, ofereça ajuda a ele. Se meus pais tivessem ficado mais atentos na minha adolescência, tudo poderia ter sido diferente e mais fácil pra mim.

E aqui no Brasil, tem sim disso...na minha época escolar tinha muito e acho que agora talvez a coisa esteja mais mascarada e disfarçada até por ser um assunto muito divulgado.

Acho que um pouco de atenção nunca é demais.
Diana disse…
Na faculdade fiz um seminário sobre o Bullying e isso nem sempre começa como tal, às vezes começa como uma vingança e até mesmo quando quem pratica persebe que a vítima é fraca. Isso dá sensação de poder, principalmente quando o agressor percebe que os demais estão gostando. Isso acaba virando um círculo vicioso pois o agressor com certeza quer sentir esse poder de novo! Ele quer ser poderoso, popular, botar terror nos demais para se sentir superior! O Bullying já chegou à Internet, nos sites principalmente os de relacionamento como Orkut, criação de comunidades que agridem a imagem de alguém! Geralmente quem pratica isso é criança mimada, ou maltratada em casa, que tem dificuldade de se adequar à escola, que já passou por isso. Bem pra mim o papel fundamental para acabar com isso é da família! Uma criança segura, com um ambiente familiar que lhe dê apoio e acima de tudo limites, dificilmente fará isso. Os pais dizem que dão tudo para os filhos, mas será que dão mesmo? Material ou Sentimental? Que exemplo dão aos filhos? Se seu filho lhe fez esta pergunta, pergunte à ele o por que dele ter perguntado, pois para mim ou ele está sofrendo ou ele viu alguém sofrendo!

Relembrando as aulas de inglês,ser inteligente tem suas vantagens rsrsrs. Do e Does, são verbos auxiliares no presente que estão conjugados, ou seja: Na língua inglesa há as desinências S, ED, ING. O S é usado na terceira pessoa do singular, então o DO fica DOES. É como se fosse: Eu faço, ele faz. I do, He does. Entendeu? :D
Bah disse…
Sonre bullying eu não sei dizer mto. Aliás, essa expressão é nova, mas os atos na minha época era exclusão, preconceito, entre outras coisas. Na verdade, as crianças são educadas conforme o ambiente em que vivem. Se isso difere da maioria das crianças as quais ela convive na escola, provavelmente ela será vista como diferente de todos. Pra nós adultos, isso é muito bom, conforme vamos crscendo o lance de exclusividade, de ser diferente é melhor e mais atrativo do que ser igual a todos. Quando você é pequeno, é complicado você querer ser diferente dos outros, porque você quer ser aceito, ser amado, respeitado como você é em casa. E a criança acaba procurando essa aprovação dos outros para lhe dizer isso. Mesmo em casa, acredito que um filho quando faz algo bom, ele quer compartilhar com a mãe e com o pai para ser motivo de orgulho, coisas assim. Mas enquanto se é criança o bullying existirá enaunto houver crianças mais fortes que as outras.

Sobre do e does é aquele lance de usar S na 3ª pessoa do singular no presente simples, como no passado não se usa, então é tudo a mesma coisa DID. Acho que é isso.

Kisu!
J.R disse…
Oi Elisa!!


Não sei reponder suas perguntas...
infelimente.


Mas estou aqui pra dizer um "OI".

Beijos!
Andrea disse…
Nossa que que perguntas complicadas ..
estou igual ao JR ..nao sei responder ..
beijos pra vc
Carina disse…
Elisa, aqui no Brasil tambem é MUITO cmum essa coisa de idimê.Assisti uma palestra na escola dizendo q pessoas q praticam o bullying são pessoas q se sentem mau por dentro e para não demonstrar, ficam falando das outras pessoas.Na maioria das vezes os apelidos são ofensivos,mas infelizmente tem casos d agreção.

O "DO" é pra I,YOU,WE,THEY!! O "DOES" é SHE,HE,IT!!

As outras perguntas eu não sei te responder. Desculpa!! =/

Beijinhos, Carina!
fabi disse…
Oi Elisa! Custei mas apareci... até meu blog ficou abandonado, problemas na família, crianças de férias, sabe como é... Puxa que perguntas difíceis hein? Quanto ao do e does até sei quando usar mas por que, aí tá didícil, beijos
Elisa no blog disse…
ALE,
Vc tem razão, parece que no Brasil o ijime é mais disfarçado. Vc tem visto o BBB? Eu estou vendo. Interessante o seu ponto de vista. Vc sente que o ataque é velado?
Mônica disse…
Elisa
OBRIGADA PELO TELEFONEMA
EU AMEI!
Amanha levaremos mamae ao medico.
E os exames ficarão prontos hoje.

Eu trabalhei em escola rural e as crianças eram muito amigas umna das outras.
Mas existe rivalidade, brigas, colocar apelido, mas sem ser em demasia.
Na idade de 5 a 12 anos . Que foi a que lecionei. Mas dizem que na adolescencia a coisa pega fogo.
Mas com jeitinho a professora pode solucionar muitoas desavenças. Penso eu.
Com carinho Monica
depoois me explique direitinho como é isto. Fiquei curiosa.
Oi, Elisa! Fiquei em feliz em falar contigo. Pra nunca variar, sempre quando vem mensagem no meu google talk, estou no trem rs
Bem, sobre o Do e Does: dependendo da frase, ou são auxiliares no presente (do é para as 1a e 2a pessoas no singular e todas no plural e does é para a 3a pessoa no singular) numa interrogativa: Do you want me? (you é a 2a pessoa no singular ou plural) ou Does she want to go with us? (she é "ela"). Ou também o verbo fazer no presente: I, you, we, they do ou she/he does. O auxiliar na negativa é don't (ou do not) ou doesn't (ou does not).
O passado vira did ou didn't (did not).
Eh, esse verbo e auxiliar às vezes complica mesmo.
Quanto ao bullying ou ijime, eu só soube das palavras quando vim aqui. No Brasil, era exclusão. Eh um assunto muito delicado e extenso.
Talvez mais dificil do que o "do" e "does"...
Beijos!
Bah disse…
Oi querida! Então o lance do Do e does é porque eles são verbos auxiliares que indicam o presente, ou seja, é regra usar porque se vc não usa os verbos auxiliares, você não sabe em que tempo vc está usando o segundo verbo. Há pessoas que deixam de utilizar no meio de uma conversa pois o tempo em questão é sabido de ambos. Quando vc pergunta "Do you like me?" vc sabe que está perguntando "Você gosta de mim?", mas se vc não usar o Do ou Does vc não sabe se a pessoa gosta ou já gostou entende? É esse verbo auxiliar que faz a diferença. Sobre de onde ele vem, sabe-se que o inglês é derivado do latim, como o português, mas as regras de ortografia são diferentemente aplicadas entre as línguas. É como querer saber por que as perguntas em espanhol tem o ponto de interrogação ao contrário no início das frases. É regra de acordo com a língua.

Espero q tenha ajudado dessa vez.

KIsu!
Fernanda Reali disse…
Saudadinha!!!
Carnaval, feira escolares, hóspedes, BBB, ufa! Sumi dos blogs amigos.
Te enviei um texto sobre Minorias que uma amiga escreveu em relação ao BBB, mas serve para escola, para tudo. A necessidade de suplantar o outro, de dominar, a homofobia etc. Bem bacana.

Bjs
Fernanda Reali disse…
Ah, ia esquecendo:

Do twitter do Boninho A prova hoje não é de resistência!!! Vai ser de estratégia + ação e sorte


Bjs
isabella disse…
fiz aulas de ingles por 8 anos e nunca perguntei do pq do do e does...
tinha uma professora minha q sempre q eu fazia esse tipo d pergunta "pq se usa isso?" ela dizia: pq deus quis! husahuashusahuhusahu. Se a professora naum sabia o q dira nós =P
Anônimo disse…
Oi Elisa
Perguntas difíceis. Mas diga ao seu filho que use da mesma arma e retribua o tratamento recebido. Ninguem suporta ser atacado com as mesmas armas com que ataca. Diga para ele não demonstrar mágoas; ao contrário exibir indiferença, auto confiança e ironia. Diga para ele ser criativo no modo com que lida com cada pessoa individualmente.
Quanto mais frágil for sua resposta, mais agessivo será o outro.Não existe uma única razão para este comportamento; os motivos são tão amplos e diversos que seria impossível enumera-los aqui.
Não vejo e não suporto o BBB. É realidade ? Não discuto; mas não a unica; realidades mais nobres existem e deveriam ser priorizadas em nome de uma missão educativa. É importante não nos fixarmos em mesquinharias, mas buscar sempre modos mais elevados de viver. Sair da planície e caminhar para as alturas.
Diga ao seu filho que ninguem poderá feri-lo se ele não quizer; se ele não acreditar e não conceder ao outro uma autoridade em julga-lo. A verdade, É QUE A AUTORIDADE É CONCEDIDA POR NÓS; e não uma prerrogativa. Diga para ele ser sábio. Sabedoria nada tem a ver com cultura; Um analfabeto pode ser sábio. Uma das pessoas mais sábias que conheci era analfabeta.

Quanto ao uso do DO, não sei mas será que vale a pena perder tempo com isto?
Tenho estado adoentada; coisas da idade.
Gostaria de poder ajudar mas este espaço é pequeno para assunto tão vasto. Espero que o que falei sirva para criar um questionamento, sempre muito elucidativo.
Beijos querida; Lenora de Resende.
Diana disse…
Se usa para dizer em que tempo está a frase. Passado, presente e futuro. Baseando no seu exemplo: Se a pergunta estivesse no passado, sem o verbo auxiliar não teria sentido de passado, né?!
Quanto a origem, eu fiquei curiosa e fui pesquisar em um dicionário de etimologia: "DO" vem do Middle English (falado entre 1100-1500) e deriva de "DON" (fazer, atuar, causar. "DON" deriva do Proto-West-Germanic (abrangia o Inglês, Holandês, Frisian, Alemão entre outras linguas faladas naquela região, do Old English (500-1100, do Proto-Indo-European "DEH".
"DOES" é uma variante de "DOTH/DOETH" (3ª pessoa do singular) do Old English falado em Northumbrian, que ficava entre a região que hoje é Inglaterra e Escócia e "DOST" (2ª pessoa do singular).
No século 19 chegaram a ser falados na Inglaterra, 6 idiomas: Celta, Latim, Old English, Normam French, Middle English e Modern English.

Ui ui...Acho que agora acabaram-se as dúvidas O.O

Bjs o/
Tb axo que o alemão tem algo haver com isso, mas os cursos de inglês por aqui ñ vão tão fundo infelizmente...

Tá rolando sorteio no meu blog: http://farofadbatata.blogspot.com/2010/02/2-sorteio-farofa-de-batata-e-miss-sugar.html

Participe ^^

Miquiliss
Bru
Elisa no blog disse…
CYNTHIA,
Refleti bastante sobre o que escreveu. Acho que a família de quem faz bullying tem bastante influência. Mudando de assunto, queria te dizer que os filhos vão crescendo e vão precisando de nós de forma diferente de quando são muito pequenos.

DESABAFANDO,
Obrigada pelo conselho e espero estar atenta. Seu depoimento é muito importante pelo alerta que nos dá.

DIANA,
Vc acertou, meu filho viu pessoas sofrendo bullying e não consegue entender como e por que podem cometer tanta maldade. Obrigada pelo que escreveu, achei muito valioso.

BAH,
Acho que vc tem razão, um dos motivos é a sociedade que impõe fazendo com que umas pessoas se considerem melhores que as outras por possuírem mais. Sempre achei que quanto mais a pessoa tem, mais humilde deve ser.

JR,
Tudo bem? Fiquei contente com a sua visita.

ANDRÉA,
Só de vc ter passado por aqui fico muito contente. Sei que perguntei algo difícil, eu mesma não consegui responder a contente para o meu filho. Felizmente, tenho recebido várias ideias.
Elisa no blog disse…
CARINA,
Que legal, a sua escola promove palestras com temas que interessam aos jovens. É sem dúvida um belo meio de levar informações a vocês. Mostra tb. que a escola está preocupada com os alunos.

FABI,
Que bom , vc apareceu, estava sentindo a sua falta. Os problemas estão resolvidos? Espero que sim. Apareça sempre.

MÔNICA,
Também adorei falar com vocês. Esse é um dado importante, o professor pode ajudar a solucionar as desavenças. O problema é quando os alunos fazem escondido. Vc se refere ao bullying quando pede para explicar direitinho?

KIYOMI,
Obrigada pelas respostas. Ambas questões são difíceis. Cada uma ao seu modo. No seu kaisha não tem ijime?

BAH,
A minha pergunta é como essa que vc mencionou sobre o ponto de interrogação em espanhol. Obrigada pela paciência em tentar responder.
Elisa no blog disse…
FERNANDA,
Tenho lido todos os posts no seu blog sobre o BBB. Sei que muita gente não gosta, mas confesso que sempre aprendo alguma coisa quando vejo o BBB. Lá tem gente do tipo que não existe no meu convívio, Fico muito surpresa. Tem textos tão bons no seu blog, inclusive os seus que parecem até tratados sociológicos ou antropológicos.

ISABELLA,
Eu estudei inglês na Cultura Inglesa de SP durante 10 anos, me acostumei tanto que nunca fiz essa pergunta, rsrs. Acho que meu filho perguntou porque acabou de ser apresentado ao do e does. Obrigada pela visita.

LENORA,
Adoro suas sábias palavras. Mais uma vez insisto que vc deveria ter seu blog. Vc não imagina quanta gente vc poderia inspirar, ajudar e iluminar com suas doces palavras. Meu filho não tem sofrido bullying, mas vou passar suas palavras para ele. Aliás, vou falar de todos os comentários.

DIANA,
Estou boquiaberta... que show de teoria linguística!! Adorei, é a resposta que eu queria. Mas cultura e conhecimento é assim: agora me veio a dúvida, o que é Middle English, nunca ouvi falar. Do Old English já ouvi falar. Em todo caso, muito obrigada. Li num site japonês que Shakespeare não usava o Do e Does. Muito obrigada. Fico muito honrada e agradecida. Honrada pelo trabalho que vc teve.

BRU,
oba, sorteio de quê? Vou lá ver. Se bem que quando participo de sorteio fica todo mundo torcendo para eu não ganhar porque o frete é caro até o Japão . rsrs
Vc vai torcer contra mim?
Mônica disse…
eLISA
aINDA NÃO PUDE ENVIAR OS LIVROS, MAS ASSIM QUE MAMAE ESTIVER PODENDO FICAR SOZINHA IREI NO CORRREIO.
COM CARINHO mONICA
Elisa, vê esse link
http://www.etymonline.com/index.php?term=do
Meio complicado de entender, mas será que dá uma luz no assunto? bjos
Fabiano Mayrink disse…
Que engraçado Elisa te mandei um email comentando sobre as provocações que sofri na escola, mais ainda nao tinha lido o seu post, quei coincidência,

quando comecei a estudar ingles ja passou na minha cabeça o pq de usar o do e does pois como vc disse "you like me?" se traduzir para portugues ja teremos o significado, mais o do tambem serve para outros significados como "fazer" "lavar" em “do the dishes” por exemplo, agora o porque se usa nao sei rs.

outra coisa que ja parei para pensar, é que a grande maioria das traduçoes do ingles para o portugues se forem feitas ao pé da letra nao fica certa,

"Do you like me?" "Voce gosta mim?"

e o do neste caso traduz o que ne...

Perguntas difíceis rsrs, bjs!
Desabafando disse…
OI amiga...só te respondendo...não vou excluir seu email não...me referia a um email de uso pessoal (fora blog) que tem coisas de muitos anos atrás. Eu tb suki-yo vc...rsrsrs...que linda minha frase mistureba, e sinto falta dos nossos emails viu!
Fernanda Reali disse…
Oi, Elisa!
Vim só para perguntar qual é o blog do Alexandre, que abre estes comentários. Ele foi visitar meus bloguinhos, deixou comentários, adorei e não achei o blog dele para retribuir...

Os comentários deixados neste post estão sensacionais. Adorei!

Bjks
Elisa no blog disse…
MÔNICA,
Ficarei aguardando, obrigada.

MAUJ,
Oba, fui lá e gostei. Mas realmente é difícil de entender. Como vc achou esse site?

FABIANO,
Realmente reparei que tocamos no mesmo assunto quase no mesmo dia. Obrigada pelo que escreveu sobre o DO.

DESABAFANDO,
Ainda bem que não serei deletada. Vc é uma pessoa muito querida.

FERNANDA,
Já fui no seu blog e deixei o URL do blog do Alexandre. Acho que ele vai ficar muito contente com o seu elogio.
Oi Elisa. Antes de tudo queria tomar a liberdade de agradecer a Fernanda Reali. O blog dela é muito bom, é um prazer visitá-lo. Vc tem uma rede de blogueiros muito inteligentes, que postam muita coisa boa, Elisa. Tem todo um diferencial de qualidade seus contatos. Que bom!

Eu escrevi no google "etymology". E sairam alguns links. Dai escrevi do e does... e deu o link rs.

Achei interessante. Bjos