Buraco da Guatemala








Muitos devem ter visto o buraco
que apareceu na Guatemala e devem ter
ficado intrigados.

Conheço um especialista no assunto e fui perguntar.
Esse post vai ficar parecendo uma aula,
portanto vou resumir a resposta.

Resumo:
Uma cavidade assim não acontece
de repente. É um processo de erosão
que acontece lentamente.


Resumindo é simples assim, mas para complicar mais um pouco,
escreverei mais para quem estiver curioso.

-Como se forma esse tipo de buraco?
-Na verdade seria necessário fazer
uma pesquisa de campo minuciosa.

-O que é pesquisa de campo?
-Significa ir ao local, fazer uma análise química do tipo de solo.
Além disso, teria que pesquisar toda a área em volta e ver o tipo de solo predominante.

-Sem ir ao local, dá para dar um chute?
- Todo chute em ciências é irresponsável, mas daria para dizer que esse tipo de cavidade demora muito para se formar.

-É natural ou feito pelo homem?
-Existem os dois tipos.
1) Natural: há infiltração de água e aos poucos, aos poucos mesmo vai se formando um buraquinho que com o tempo pode se tornar um buracão.
2)Feito pelo homem: na cidade de Oya no Japão, havia uma pedreira,
mas as rochas estavam no subsolo. Os homens foram fazendo túneis quilométricos para cortar e retirar as rochas.

Foram cavando, cavando. Hoje a pedreira está abandonada. Mas muitas vezes o solo que está acima cede e surge uma cratera. É preciso tomar cuidado.

Em ambos casos, um dia o solo acima cede e o buraco se torna visível.
Na foto da Guatemala vc pode ver, há uma camada de asfalto em cima de tudo.
O que está abaixo cedeu.

-Em São Paulo houve um buraco em cima das obras do metrô, é o caso de buraco feito pelo homem?
-Mais uma vez é difícil analisar sem conhecer o local e o terreno, mas é bem provável.

-O governo da Guatemala está dizendo que é impossível prever uma tragédia dessas.
-Com a tecnologia do Japão e Canadá dá para prever exatamente e com precisão.

-Como?
-Com aparelhos de última geração como sismógrafos, radares e sonares de solo.

-Nossa que coisa complicada!
-Sim, mas com esses aparelhos é possível detectar cavidades, ou popularmente buracos no subsolo sem escavar.

-Só tem no Japão e Canadá?
-São os que conheço atualmente. Muitos países tentam com tipos parecidos de aparelhos, mas dificilmente estão dando bons resultados. Os do Japão e Canadá tem dado resultados satisfatórios. É assim que se tem evitado esses desastres aqui no Japão.

-Quem tem essa tecnologia?
-Empresas privadas contratadas pelo governo. Aqui no Japão fazemos pesquisas de solo em estradas, aeroportos, usinas nucleares, cidades, enfim, onde for requisitado. Mas é uma área ultra especializada, pouco conhecida pelo público em geral mesmo aqui no Japão onde existe a tecnologia.

-Daria para falar mais sobre Oya?
-A cidade de Ooya fica na Província de Tochigi, um pouco ao norte de Tokyo.
Lá dá uma pedra chamada Ooya ishi, usada largamente em muros residenciais.
Não sei se já viram uma pedra esbranquiçada, um pouco verde e cheia de buraquinhos. É o ooya-ishi. Ela estava presente no subsolo da cidade. As pessoas foram cavando túneis para retirá-la. Esses túneis estão presentes em toda cidade. Não se sabe exatamente onde estão. Muitas vezes o solo cede e surge um buraco. Na cidade há um instituto criado especialmente com o intuito de prever esses buracos.

Vocabulário em japonês:
Kanbotsu - 陥没 - em japonês há uma palavra para designar esse buracos que surgem de repente: é a palavra Kanbotsu.
Ishi - 石- pedra

O post ficou um pouco longo, mas na verdade o assunto é muito mais complexo. Há estudos científicos a respeito. Mas espero ter respondido a contento. Me contem depois.




Comentários

Fabiano disse…
Oi Elisa! Este problema de buraco é muito complicado, eu acho que é normal a terra passar por mudanças mais quando tem gente por perto ai a coisa fica feia.. Minha irma comentou desse buraco mais ela pensou que fosse em outro lugar, descobri por vc que é na Guatemala.

Teve aquele aqui no Brasil e esse agora na Guatemala, eu ja ouvi falar de buracos menores que cedem derepente quando passa um carro,

mais estes desta magnitude é ate espantoso!

ps: Estou escrevendo para vc aqui no intervalo da faculdade como vc vai mudar o fundo do seu blog, e em casa monto as imagens, mando pra vc hj ou amanha, um abraço!
Desabafando disse…
Adorei a forma que vc escreveu o post porque ficou fácil e simples de entender mas vendo essa foto lembrei do buraco do metrô de SP. Lembro que dias depois eu passei lá perto e dava medo de ver aquilo.
Não é sempre que temos uma aula de geologia, foi bom saber um pouco mais, e na verdade eu nem sabia do buraco rs!!

Saudades de Ti!
Miquilis
Bru
andreia inoue disse…
eu nao tinha visto ainda esse buraco na guatemala,
e que show de explicacao heim?adorei,um beijao.
R. disse…
Post longo, mas muito bem explicadinho!

Valeu! :)

R.
Fernanda Reali disse…
Bem explicadinho, como deve ser, porque a gente não entende nada vezes nada desse assunto. Sempre acho que locais arenosos têm mais chances de desmoronar, locais próximos ao litoral, por exemplo. Sei lá, impressao de que a água e a áreia são mais frágeis do que a montanha e a terra.

Beijos!!!
Elisa, esse seu post está digno de uma boa revista. Pq deu explicação científica, sem "achômetro". Falou com um especialista, não são palpites furados. Eu tava bem curioso pra entender o que aconteceu e na hora tinha me lembrado de Oya.
Ooya é bem famosa né. Eu fui lá qdo morei em Tochigi, há alguns anos.
Os buracões impressionam mesmo.

mto legal o post!
Priscila disse…
Olá Elisa

Muito legal o post....legal saber que já existem formas de "prever" esses buracos...e evitar maiores danos...

fiquei curiosa em saber o que tinha sobre o buraco, quero dizer, tinha casas ou só rua mesmo??

Deve ter sido um desastre se tinham pessoas ocupando essa area que desabou....

:)
andreia inoue disse…
sobre o ipad a loja ainda nao nos ligou,eles tinham dito que iriam entrar em contato a partir do final de maio.
estamos so na espera.
E gosto dos seus post's longos,pq nao tem como nao entender.
beijaoooo
HAZEL disse…
Oi, Elisa!

Obrigada pela visita e pelos votos de sucesso para plantar as sementinhas de yoi!
Estou à espera da Lua Nova para colocá-las na terra.

Beijos mágicos!
Elisa no blog disse…
Priscila,
Não sei se vc tem blog, portanto escreverei aqui.
Nâo tenho certeza, mas acho que tinha um prédio de 3 andares. Segundo a reportagem que vi, esse prédio foi abaixo. Não sei se havia gente lá.
Mônica disse…
Eu adorei saber sobre este assunto. Não estou em casa, depois vou mostrar para a mamae e contar para meus sobrinhos verem.
Nem sabia do buraco na Guatemala. Tenho dormido antes do reporter e nem estou lendo jornal diariamente como faço sempre.
com carinho Monica
Foi tudo novidade
lolipop disse…
Excelente post Elisa. Aqui todos os jornais trouxeram fotos dessa cratera e achei assustador... não tinha ouvido falar em Oya...
O Sakamoto mesmo de cabelo branco é um charme, não acha? Imagine ele não ter piano...Ele não tem lançado muita coisa nova, mas está muito envolvido em causas ambientais.
BEIJOS GRANDES
filipe disse…
Elisa,
Bom post, muito claro e explicativo, dá um bom contributo para nós, os leigos. Como se diz no próprio post, avançar mais, de forma responsável, exigia outros estudos e avaliações. Mas que aquela dimensão de "buraco", na vertical perfeita e com as paredes interiores tão certinhas e tão perfeitamente circulares, dá muito que pensar, ai isso dá!
Saudações amistosas.
mar e ilha disse…
Elisa,
que interessante , foi bem explicativo seu post. Li umas três reportagens recentemente sobre o assunto e nenbuma tão explicativa com a sua.
Seria muito bom se esta tecnologia estivesse presente também em outros países. Poderia evitar tragédias. Ainda bem que existem pessoas para estudar estes assuntos. Gostei de saber.
Edson Rufo disse…
Olá passei para dar parabens ao seu Blog
Quando puder visite-me e de seua opiniao
Abraços
Edson Rufo
http://escritorpoeta.blogspot.com
Mônica disse…
Elisa
Voce viu como já me conhece? Eu estava escondidinha e voce me achou.
Será que o correio vai permitir doce?
Vou pedir minhas tias de Araxá para comprar . Talvez eu envie as balas caseiras de Araxá. Balas de coco ( brancas) e balas preta ( pingo feito de mel),acho que estas não tem perigo de quebrar
Ou voce gosta de compota? Vou tentar enviar. Ou goiabada? Bananada. Acho que estas também não tem perigo de quebrar.
Depois voce me conta qual é a sua preferida.
com carinho MOnica
lolipop disse…
Bom fim de semana, Elisa...
Beijos
Claudia Rumi disse…
Caramba Elisa, isso sim eh responsabilidade em escrever um post. Achei legal ele falar que "chute" eh algo irresponsavel na ciencia.E eh legal pois quem tem a tecnologia e o estudo cientifico desses problemas, falam de maneira responsavel evitando discurso errado.
Omedeto!
bj
claudia
Hana disse…
Olá, adorei seu cantinho e gostei de entrar em seu mundo e el é maravilhoso, por isso aki te leio aki te sigo aki volto.
com carinho
Hana
Anônimo disse…
Este comentário foi removido por um administrador do blog.

Postagens mais visitadas