Pular para o conteúdo principal

Como tirar a fralda com sucesso

Só para ilustrar, estou colocando essa foto neste post. É uma foto de pacotes de fraldas que tirei no ano passado na Malásia. Foi em um supermercado em Kuala Lumpur. Essa fralda Mamy Poko existe no Japão também.


Vi um post no blog da Cynthia do blog Fala Mãe!
Hoje vou falar da minha experiência de desfraldamento do meu filho. Eu estava muito ansiosa e preocupada pois era a minha primeira experiência no assunto.

É importante lembrar que uma criança é diferente da outra. Cada uma tem seu tempo para tirar a fralda.

Hoje vou falar especificamente do 'desfralde' noturno. Tirar a fralda de dia é outra história diferente.

Venho falando que o amor de mãe e a intuição são muito importantes. Mas nesse caso, tenho que confessar que a teoria conta muito.

Ganhei um livro americano de uma amiga sobre 'potty training', que é como eles falam do desfraldar. Na época, 14 anos atrás não tinha tantas informações na internet como hoje.
A amiga Marcia também me deu muitas dicas valiosas.

Uma amiga chilena disse que no Chile é normal as crianças tirarem a fralda com 4 ou 5 anos (pelo menos na família dela era assim). Na época ela morava em Yokohama e se surpreendeu porque no Japão o normal é com 1 ano e meio a 2 anos. Confesso que não sei como fazem. Mas acho que o importante é não traumatizar a criança. Muitas vezes a criança tira a fralda mas fica traumatizada e não consegue segurar o xixi.

Numa dessas teorias dizia que chega um dia em que a criança não fará xixi na fralda da noite durante o sono. Quando chegar esse dia, tirar a fralda já na noite seguinte, sem medo, porque se deixar, a criança ficará preguiçosa e fará xixi durante o sono depois disso. Talvez até por anos depois. O importante é a mamãe ter coragem.

Seu filho fez xixi todas as noites desde que nasceu. Eu duvidava dessa teoria. Achava difícil que deixasse de fazer de uma noite para outra. Pareceu um milagre: mas aconteceu. Um belo dia, acho que meu filho tinha um ano e meio, quase dois: a fralda amanheceu sequinha! Tomei coragem e meio incrédula tirei a fralda já na noite seguinte. Sucesso! Depois daquele dia, ele nunca, nunquinha mais fez xixi de noite durante o sono.

Dizendo assim parece muito complicado. Mas minha mãe falou uma coisa de muita sabedoria (e humor). Não se preocupe porque até casar ele tira a fralda!

Não ligue muito para comentários alheios porque o filho é seu, cabe a você escolher o que é melhor para ele.

Com paciência, amor e atenção tudo dará certo.
Mamãe, papai e criança, coragem e sucesso!

Comentários

Meri Pellens disse…
Minha nossa!!!!
Eu passei TANTO trabalho. Se tivesse sabido disso... Iria mesmo testar.
Aff... Fazer o que, né?
Beijos na alma!
Conheci muitos casos que a criança não conseguia deixar as fraldas. E não vou mentir, acho q era culpa da mãe.
De tanta ansiedade, pressão que a mãe fazia, a criança acaba urinando de nervosa.
Talvez por isso seu filho parou logo, pq foi natural, o corpo dele trabalhou sozinho para tal.

Cada criança tem um ritmo de desenvolvimento né. Não é bom mãe colocar no filho uma data para tudo, comparativamente a outras crianças.

muito bom o post. E que fraldinha bonitinha rs...
bjs
Eliane disse…
Oiiiii... passando pra retribuir a visita...
Seu blog é lindo...
Ai, que bom... mais uma amiga... e agora vou conhecer novos costumes...
Quanto ao desfralde, parabéns! Cada conquista dos nossos pequenos é uma conquista nossa também.
bjs
Desabafando disse…
Que interessante, confesso que não sabia nada disso mas aprendi algo novo. Quem sabe se um dia eu tiver filhos não aplico a teoria!
Suki-yo
Desabafando disse…
Que interessante, confesso que não sabia nada disso mas aprendi algo novo. Quem sabe se um dia eu tiver filhos não aplico a teoria!
Suki-yo
Mônica disse…
Eu já escutei de uma amiga que tirar frauda de menino é mais fácil do que de menina.
Eu não lembro mais dos daqui de casa.
Com carinho MOnica
Fabiano Mayrink disse…
post muito bom Elisa, mais ainda estou longe de ter um filho rs, um abraço!!
Fernanda Reali disse…
Post útil. É difícil de achar depoimentos sobre isso. Cada caso é um caso. Guga deixou com 2 e meio naturalmente, assim como teu filho. Helena fez xixi na cama até os 3 e meio, precisei ter duplo forro no colchão e passei trabalho. COm cachorrinhos, acontece isso. Gabi aprendeu a fazer xixi no lugar certo desde os 6 meses. Isa está com 8 e faz xixi na varanda, na sala, no corredor... Uma trabalheira. A gente cria igual, com as mesmas técnicas, mas cada um responde no seu ritmo.

Tem uma médica pediatra de SP que publicou um livro sobre xixi noturno e reconeda o uso de ansiolíticos leves em casos prolongados. O argumento é bom, pois ela diz que fazer xixi na cama aos 8 ou 9 anos destrói a auto-estima da criança, como se ela falhasse sempre. O ansiolítico ajudará a cessar o xixi, e o estímulo familiar recuperará a auto-estima abalada.

Beijos!
lolipop disse…
Legal a ideia do seu post...eu não sei muito disso, não.
Fiquei triste com a derrota do Japão...snif.
Aí também deve ter sido uma emoção sofrida.
BEIJOS
Tirar fraldas exige paciência, ainda bem que eu não pretendo passar por isso não teria paciência hahaha

Miquilis
Bru
Bah disse…
Nossa, a gente sempre sabe que criança usa fralda mas não pensa (quem não tem filhos como eu) que um dia elas terão que tirá-las rs... e como tirá-las... esse é um post muito informativo, mas acho que estou longe de ter filhos...

Kisu!

Postagens mais visitadas deste blog

7. Guêr ou ger, tenda-vivenda da Mongolia

Hoje vou mostrar como se monta uma tenda ou casa mongol. Ela se chama ger (guêr). Construir o ger fazia parte desta nossa viagem.
Na época que eu fui a temperatura estava entre 10 a 15 graus de manhã e a noite. Durante o dia estava entre 20 e 25 graus. Foi agradável e deu para fugir um pouco desse calor infernal que está fazendo no Japão esse ano.
Primeiro coloca-se a porta e estrutura da parede.
Em seguinda monta-se o pilar central dentro do ger. Colocam a base do teto. Olhem que gracinha esse menino no centro da foto.
Não sei se esse garotinho queria ajudar ou brincar, mas lá estava ele escalando a grade.
O esqueleto do ger é coberto com pano e cobertor de lã de camelo.
Cobrem o teto e paredes com tecidos grossos para proteger do frio. O menino ainda está lá.







Cobrem com o tecido branco característico de todos os gers. Meu filho quando pequeno também era assim, queria ajudar em tudo. Aliás, ele ajudou muito para fazer esse ger. E gostou da experiência.
Fiquei refletindo. Nós das cidades quando const…

8. Mongolia: roupas e comida

Hoje vou falar da roupa e comida da Mongólia.
Eu sei que Mongólia tem acento. Mas no título não coloquei de propósito porque assim, podem fazer um hit em inglês e pelo menos poderão ver as fotos. Já com acento acho que não aparecerá nas buscas em inglês.
A roupa que as mulheres estão usando se chama dêr. É longo, quentinho, protege bem do frio.
Com essa roupa as mulheres podem se afastam um pouco do ger (tendas) e vão fazer xixi. Elas se agacham e o dêr cobre tudo. Muito prático. Dá até para andar a cavalo.

A roupa típica dos nômades para homens também se chama dêr. O Dêr dos homens não é estampado como das mulheres. Esses dois homens, o do centro e do lado esquerdo usam dêr cinza com faixas coloridas. O homem da foto abaixo usa dêr azul. Na cabeça usam boné ou chapéu tipo ocidental. Eu acho que chapéu e bonê não combinam com o dêr. Mas o chapéu típico é assim: Imagine a metade de um coco. Em cima do coco, bem no meio fica um chifre comprido com uma bolinha na ponta. É meio esquisito, acho que por i…

Verduras no vapor

Ultimamente tenho usado essa cuscuzeira para cozinhar verduras e legumes. No vapor. Sempre achei que demorava muito para fazer batatas cozidas. Leva todo o tempo de esquentar a água. No vapor vai muito mais rápido. Depois da batata, experimentei cozinhar abóbora como na foto. Deu certo com vagem, espinafre (horensô), batata doce, quiabo, aspargos, etc.
É mais rápido, ecológico e as verduras ficam mais gostosas. Acho que perdem menos nutrientes porque eles não vão embora junto com a água do cozimento. Adoro soluções assim, boas em muitos sentidos.
Comprei essa cuscuzeira em São Paulo. Vc pode encontrar em casas do norte, que são lojas de produtos do nordeste. Lá no nordeste essa panela é muito usada para fazer cuscuz.
No começo eu só usava para fazer cuscuz. Hoje uso também para cozinhar verduras no vapor.