Pular para o conteúdo principal

Floresta Tropical


Quem conhece este blog há pouco tempo deve estar achando
curioso porque o blog se chama "Uma brasileira no Japão"
mas só falo da Malásia.
Daqui a pouco vou mudar o nome temporariamente
para "Uma brasileira na Malásia".


Aprendi nos tempos de colégio que as regiões da Ásia
perto da linha do Equador tem a vegetação parecida
com a da Amazônia porque ficam quase na mesma
latitude.
Minha amiga que mora na Malásia
( e a família) nos levaram para um passeio
num parque perto de Kuala Lumpur.
Obrigada amiga, gostamos
muito do passeio.
O local se chama "Forest Reserach Institute Malaysia",
ou simplesmente FRIM.
A placa da foto acima indica a entrada
do canopy walk,
que é uma caminhada pelas
copas das árvores.

Para fazer a caminhada atravessamos
essas pontes de madeira.
Elas balançam muito, ficam num lugar
bem alto e dá muito medo.
Mas é muito legal.
A floresta, exuberante.

Esse dia estava muito quente e úmido como todos
os outros dias.
Nunca fui para o Amazonas, mas gostei
do verde dessa floresta.
No país há muitas outras áreas de florestas
e rios tropicais.

Para não ficar somente nas fotos da floresta,
coloquei uma foto de comida.
Tenho muitas outras, aguardem por favor.
Essa comida acima é curry
da Malásia.
De batata e carne com arroz.
Na Malásia as pessoas comem com garfo e colher
e não garfo e faca.
Achei interessante e prático para comer curry.
Gostei muito da comida de lá.




Comentários

Andrea disse…
Elisa ,eu teria medo de fazer esse passeio ,pois tenho pavor de altura .Mas já fui na Torre Eifel então talvez ate encararia ,,,rs
Seu passeio deve ter sido ótimo ,Viajar sempre é bom ..
Beijão pra vc e ótimo fim de semana .
MIUÍKA disse…
Amiga,adorei ver todas as tuas fotos,são muito elucidativas e é bom ver a diferença de país para país.
Um beijinho...MIUÍKA
Diego Borges disse…
Essa do garfo e colher foi interessante. Legal essas coisas diferentes que outros povos fazem. Lembro de uma reportagem do Fantástico onde um povo aí do Oriente ficou chocado de saber que as vacas no Brasil comen e dormem no pasto rsrrsrsrs Achei interessante pois as vacas deles nem andar eles deixam pra ela não cansar rsrsrrs
Muito legal.
Um abração !!!
Mônica disse…
Se minhas amigas professoras de história descobrirem sobre seu bloig vão copiar. Está excelente . Setá aulas bem agradaveis. Vou avisa-las.
Com carinho Monica

Hoje fomos no dentista mame e eu e depois sai a tarde inteira . Só agora fui te visitar.
Com carinho Monica
Mari disse…
Elisa encontrei o seu blog atraves do blog do cha com arroz,fiquei feliz em ver o japao novamente atraves do seu blog,sou nissei e morei no japao muitos anos,mas agora estou de volta faz uns 5 anos.Tenho saudades das coisas dai e das comidas tbem.Um dia qdo retornar pro Brasil venha conhecer Caldas Novas
Espero q tenha gostado do meu blog
bjos
Desabafando disse…
Que legal....estou adorando passear contigo....e é impressão minha ou esse arroz é um pouco diferente do brasil?
Lisa Nunes disse…
Elisa
que passeio interessante esse, lembra muito a Amazonia (que eu só conheço pela TV e por fotos!!) como bem disseste, é um lugar exuberante. A Malásia já foi cenário de muitos filmes justamente por ter tantas belezas naturais. Quanto ao prato da foto, aqui no Sul se chama picadinho de batata, só que não vai curry. A colher deve ser usada pra comer o caldo não?

Beijinhos pra você

Postagens mais visitadas deste blog

7. Guêr ou ger, tenda-vivenda da Mongolia

Hoje vou mostrar como se monta uma tenda ou casa mongol. Ela se chama ger (guêr). Construir o ger fazia parte desta nossa viagem.
Na época que eu fui a temperatura estava entre 10 a 15 graus de manhã e a noite. Durante o dia estava entre 20 e 25 graus. Foi agradável e deu para fugir um pouco desse calor infernal que está fazendo no Japão esse ano.
Primeiro coloca-se a porta e estrutura da parede.
Em seguinda monta-se o pilar central dentro do ger. Colocam a base do teto. Olhem que gracinha esse menino no centro da foto.
Não sei se esse garotinho queria ajudar ou brincar, mas lá estava ele escalando a grade.
O esqueleto do ger é coberto com pano e cobertor de lã de camelo.
Cobrem o teto e paredes com tecidos grossos para proteger do frio. O menino ainda está lá.







Cobrem com o tecido branco característico de todos os gers. Meu filho quando pequeno também era assim, queria ajudar em tudo. Aliás, ele ajudou muito para fazer esse ger. E gostou da experiência.
Fiquei refletindo. Nós das cidades quando const…

8. Mongolia: roupas e comida

Hoje vou falar da roupa e comida da Mongólia.
Eu sei que Mongólia tem acento. Mas no título não coloquei de propósito porque assim, podem fazer um hit em inglês e pelo menos poderão ver as fotos. Já com acento acho que não aparecerá nas buscas em inglês.
A roupa que as mulheres estão usando se chama dêr. É longo, quentinho, protege bem do frio.
Com essa roupa as mulheres podem se afastam um pouco do ger (tendas) e vão fazer xixi. Elas se agacham e o dêr cobre tudo. Muito prático. Dá até para andar a cavalo.

A roupa típica dos nômades para homens também se chama dêr. O Dêr dos homens não é estampado como das mulheres. Esses dois homens, o do centro e do lado esquerdo usam dêr cinza com faixas coloridas. O homem da foto abaixo usa dêr azul. Na cabeça usam boné ou chapéu tipo ocidental. Eu acho que chapéu e bonê não combinam com o dêr. Mas o chapéu típico é assim: Imagine a metade de um coco. Em cima do coco, bem no meio fica um chifre comprido com uma bolinha na ponta. É meio esquisito, acho que por i…

Verduras no vapor

Ultimamente tenho usado essa cuscuzeira para cozinhar verduras e legumes. No vapor. Sempre achei que demorava muito para fazer batatas cozidas. Leva todo o tempo de esquentar a água. No vapor vai muito mais rápido. Depois da batata, experimentei cozinhar abóbora como na foto. Deu certo com vagem, espinafre (horensô), batata doce, quiabo, aspargos, etc.
É mais rápido, ecológico e as verduras ficam mais gostosas. Acho que perdem menos nutrientes porque eles não vão embora junto com a água do cozimento. Adoro soluções assim, boas em muitos sentidos.
Comprei essa cuscuzeira em São Paulo. Vc pode encontrar em casas do norte, que são lojas de produtos do nordeste. Lá no nordeste essa panela é muito usada para fazer cuscuz.
No começo eu só usava para fazer cuscuz. Hoje uso também para cozinhar verduras no vapor.