Sinceridade 2


Aí no Brasil começa a primavera e não sei se vocês perceberam, mas no Japão começa o outono. Adeus calor. Comprei um vestido florido de alcinha na Malásia e nem deu para usar desde que voltei ao Japão. Que pena, fica para o ano que vem.

Quero agradecer a cada uma das pessoas que me escreveu comentando sobre a sinceridade.
Gostei de ser sincera. Achei que seria apedrejada, fiquei com medo, mas a recepção foi das mais acolhedoras.
Mas como sempre acontece com blogs, a gente recebe comentários inesperados.
Escrevendo um agradecimento para a Aninha do blog Deu Zebra percebi algo que devia estar bem escondido no meu subconsciente:
O recado era para todas as mulheres que maltratam os homens, mas era também um recado para mim mesma. Era uma espécie de mea culpa.
No passado eu fui má e cruel.
E hoje sinto muito remorso e culpa.
Não sei se vc que maltratei tanto está lendo, mas peço perdão. (quando comecei esse blog nunca pensei que pediria perdão, conselhos, ajuda)
Vocês que são tão inteligentes, poderiam me ajudar? O que faço com esse sentimento de culpa?

Cada um dos comentários me fez entender melhor o que é o amor, a paixão, os sentimentos. Agradeço de coração.

O comentário inesperado foi de alguns homens certinhos. Tomei gosto pela sinceridade. Aqui vai um comentário sincero: os certinhos que me perdoem, mas vocês perdem dos safados nos quesitos: charme, lábia, poder de sedução, pegada, etc... Os safados são mais divertidos. Diversão por diversão os cafajestes saem ganhando. É por isso que tem mulher que gosta desses tipos.
Mas vocês não precisam conquistar todas as mulheres do mundo. Basta uma, só uma que te ame de verdade. Não se preocupe, ela vai aparecer. Ai, ai, hoje é o dia que vou apanhar dos certinhos.
Acho que as moças decentes e certinhas também gostam dos certinhos. Procurem essas moças. Vai dar mais certo. Se quiserem na próxima posso dar umas dicas para vcs se tornarem mais atraentes, querem?

Como? A nova primeira-dama do Japão diz já foi abduzida por alienígenas? Aqui a mídia é muito respeitosa com figuras públicas. Não ouvi nada disso. Sueli querida, conte mais por que esse tipo de notícia não sai aqui. rsrs

O bolo cremoso de fubá é muito fácil, é só misturar tudo. Não dá chabu, é por isso que faço. Adoro essa palavra chabu. O meu filho criou um neologismo: misturou o final em japonês e ficou chabutta, que para ele significa dar chabu, dar errado.

Nos próximos posts continuarei falando sobre comida e viagens, espero. Queria agradecer aos novos leitores e antigos leitores por estarem acompanhando e curtindo meus relatos de viagem. Eu também estou satisfeita porque são lugares tão bonitos e interessantes que não queria guardar só para mim.

Uma palavrinha em japonês: áki que significa outono.






Comentários

Angela disse…
Amiga Elisa,
Qtas surpresas! A príncipo vc me parecia um pouco tímida e agora encontro uma nova mulher.Que alegria, ler seus posts, estão cada vez mais interessantes, além de suas deslumbrantes viagens por países pitorescos, tem tbm se colocado de maneira segura, determinada e inteligente e o melhor de tudo ´é que os temas são polêmicos. Amiga, essa nova Elisa ou a Elisa que está saindo daí de dentro é sem sombra de dúvida uma mulher atual, moderna, charmosa e corajosa. Parabéns menina, continue assim, vou passar com mto mais gosto por aqui.
Bjs
pequena disse…
Ai amiga brigada pelos votos de felicidade lá no meu blog rs
Depois mostra uma foto de vc vestida no vestido que eu fiquei curiosa rss

Obrigada pelas visitas lá no blog rss vc é uma fofa sabia?

rs

xerim e boa noite!
rs...ainda bem que sou gay rs.

pelo menos vc esta sendo sincera e abrindo o coração, isso é importante.
Passando pra desejar uma ótima quintaaa...tô correndo pra caramba por aqqui =/ Depois passo com mais calma pra ler esse e o post anterior tá?

Miquilissss
Bru
Anônimo disse…
Ola Elisa
Continuo gostando muito do seu jeito de expor suas ideias,nao importando se vai agradar ou nao,o importante e o que vem de dentro.
Abs Loli
Angela disse…
Elisa tchan,
A semente só germina qdo semeada em solo fértil! Tenha a certeza de que o mérito é td seu, essa Elisa existia, só era preciso encontrar a porta de saída e o seu blog foi o condutor até essa porta.
Ainda bem que que a dona primavera chegou, mto embora a temperatura aqui em SP esteja do inverno, continuamos a espera de um pouquinho de sol, rsrsrs.
Obrigada pela visita e pelo comentário tão carinhoso.
Bjs
PS: Dia 22 nasceram dois sobrinhos, gêmeos e japinhas, rsrsrs.
Fabiano disse…
oi Elisa bom dia ou boa noite rs, venho aqui lhe falar que para mudar as coisinhas no blog nao é dificil so que tem que saber de uma linguagem HTML pelo menos um pouquinho o basico como eu, eu nao sei explicar como se faz tantas mudanças como fiz,

mais se voce quiser mudar o fundo do seu blog rapido e facil entra neste site

http://hotbliggityblog.com/index.php

la voce vai achar inumeros fundinhos de blogs e so vc copiar o codigo que fica embaixo de cada modelo e colocar no seu blog,

porem para usar este serviço voce tera que mudar o seu modelo para um "minima" clica em escolher novo modelo escolha minima e clique em "salvar modelo" apos isso siga as instruçoes do site qualquer coisa nao esite em me perguntar se souber te responto com alegria

os selinhos piscando e facil, entra aqui e saiba como fazer

http://www.dicasparablogs.com.br/2009/09/fazer-uma-apresentacao-de-slides-no.html

foi assim que fiz!

abraços!
Nádia Mara disse…
Elisa!
Você é muito fofa!

Quanto à culpa, o primeiro passo é você se perdoar.
Não esqueça que somos todos imperfeitos e cometemos erros.
Beijos de primavera para você!
Fabiano Mayrink disse…
oi Elisa esqueci-me de te falar das fotos das postagens anteriores, vai neste site aqui

http://www.linkwithin.com/learn?ref=widget

se cadastre e siga as instruçoes

facil! abraços!!!
Mônica disse…
Elisa
Nós escolhemos esta época para ir por causa do outono. A Marilia quando morou nos EUA dizia que era maravilhoso o tom das flores, que aqui no Brsil não existe em lugar nenhum.
Que seu outono seja tão gostoso quanto a nossa Primavera.
Com carinho Monica
Aninha Leme disse…
Amoreco,
não precisa ter vergonha nenhuma de falar a verdade e nem se culpar por erros do passado.
A lição número 1 é perdoar-se. E acredite, essa é a parte mais difícil. Acho que seu ex talvez nem se lembre mais da dor e sofrimento... mas se puder, vale a pena pedir perdão a ele também.

Cada dia que passo adoro mais o seu blog! Agora está mais vivo!! Acredite, essas sinceridades fazem com que nos sintamos vivos e aliviados!

Com relação à preferência aos homens cafa, eu conheço vários homens bonzinhos que preferem as mulheres devassas, tb.
Entendeu? rsrs é igual pra ambos os sexos! Ninguém pode atirar pedras.

besossssssssssssssss
mar e ilha disse…
Elisa,
porque temos tanta culpa não é mesmo? E as vezes são coisas tão bobas. Acho que as dicas já foram dadas: se perdoar e saber que não somos perfeitas. Mas será que as vezes temos mesmos que sentirmos culpadas? Acho que muitas vezes nossos sentimos de culpa não tem razão de ser.. pense nisso.
Ah, quanto a NY iremos agora no final de outubro ou inicio de novembro. Ainda não fechamos as passagens e hoteis. EStou amando rever NY com minhas irmas e espero suas dicas.
Diego Borges disse…
Olá Elisa, a segunda edição do sinceridade ta muito boa.
Com relação aos atributos dos homens safados, eu ja perguntei uma certa vez por que a maior parte das mulheres gosta mais deste tipo e me responderam que " o homem safado tem algo mais selvagem, uma coisa louca que deixa a mulher doida, como se ele fosse uma aventura que ela nunca iria esquecer" , da mesma forma aconetce com os homens bonzinhos como a Aninha falou, eu ja vi caso que quanto mais a mulher macerava o rapaz mais ele ficava doido por ela srrsrsrsrs
o mundo ta doido kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Comr elação a culpa , eu penso assim , o que passou passou . Errar todo mundo erra mais são poucos que assumem e conseguem sair do erro e fazer isso é motivo de muita alegria, por tanto não se sinta culpada o que importa é o "daqui pra frente" pois é nele que vc vai ser muito feliz. Espero ter ajudado em alguma coisa.
um abração !!!!
Monica disse…
Oi Elisa, obrigada pelo selinho, vou publicar assim q tiver um tema interessante como o seu!
Como boa libriana, creio q tudo deve ter um equilíbrio, a gente deve tratar bem os homens,sim, mas eles tb têm que entender q a gente tem tpm, cólicas, chiliques...
Bah disse…
"Mea culpa" interessante... sabe que lendo essa sua frase, me vi nela. Já fui muito má e cruel com algumas pessoas. O que eu fiz pra tirar o sentimento de culpa? Partindo de mim, nada. Aprendi na marra, sob a condição de saber que a justiça tarda mas não falha. Creio eu que agora consegui ter de volta tudo o que eu fiz. Me recuperando. O importante de tudo isso é primeiro ter consciência do erro, saber admitir e saber que pode fazer diferente uma próxima vez, as coisas e o tempo não voltam, então, permita-se ao perdão e recomeçar de onde quer que esteja parada.

Kisu!
Lisa Nunes disse…
Elisa,

Primeiramente, queria te dizer que tenho aprendido muito contigo nesses ultimos post's.

Com relação a sua pergunta..
a própria palavra 'culpa' soa pesado, por que não é um sentimento bom para guarda-lo.

Quando sentimos culpa, temos uma preocupação excessiva com a opinião dos outros, e uma dificuldade de assumir responsabilidade pelos nossos atos, por isso buscamos os responsáveis pelo nosso sofrimento, por que temos dificuldade de expressar nossos sentimentos e nos sentimos vítimas em muitas situações, que na verdade estamos agindo passivamente, como meros expectadores da vida. Acredito que para nos livrarmos da culpa devemos nos aceitar como somos, com nossas falhas e imperfeições, e estarmos abertos para aprendermos com eles.Não é a culpa que nos redime e sim o aprendizado.

Espero te-la ajudado um pouquinho.
Um grande beijo
Lisa Nunes disse…
Queridaaaa...
novamente lembrei desse texto, da Martha Medeiros, que é jornalista e escritora gaúcha. Espero que goste:

"CULPA ZERO"

Eu não sirvo de exemplo para nada, mas, se você quer saber se isso é possível, me ofereço como piloto de testes.
Sou a Miss Imperfeita, muito prazer.
Uma imperfeita que faz tudo o que precisa fazer, como boa profissional, mãe e mulher que também sou: trabalho todos os dias, ganho minha grana, vou ao supermercado três vezes por semana, decido o cardápio das refeições, levo a filha no colégio e busco, estudo com ela, telefono para minha mãe todas as noites, procuro minhas amigas, namoro, viajo, vou ao cinema, pago minhas contas, respondo a toneladas de e-mails, faço revisões no dentista, mamografia, caminho meia hora diariamente, compro flores para casa, providencio os consertos domésticos, participo de eventos e reuniões ligados à minha profissão, a igreja, acredito e oro a Deus e ainda faço escova toda semana - e as unhas!
E, entre uma coisa e outra, leio livros.
Portanto, sou ocupada, mas não uma workaholic.
Por mais disciplinada e responsável que eu seja, aprendi duas coisinhas que operam milagres.
Primeiro: a dizer NÃO.
Segundo: a não sentir um pingo de culpa por dizer NÃO. Culpa por nada, aliás.
Existe a Coca Zero, o Fome Zero, o Recruta Zero.
Pois inclua na sua lista a Culpa Zero.
Quando você nasceu, nenhum profeta adentrou a sala da maternidade e lhe apontou o dedo dizendo que a partir daquele momento você seria modelo para os outros.
Seu pai e sua mãe, acredite, não tiveram essa expectativa: tudo o que desejaram é que você não chorasse muito durante as madrugadas e mamasse direitinho.
Você não é Nossa Senhora. Você é, humildemente, uma mulher.
E, se não aprender a delegar, a priorizar e a se divertir, bye-bye vida interessante.
Porque vida interessante não é ter a agenda lotada, não é ser sempre politicamente correta, não é topar qualquer projeto por dinheiro, não é atender a todos e criar para si a falsa impressão de ser indispensável.
Lisa Nunes disse…
(continua...)
É ter tempo.
Tempo para fazer nada. Tempo para fazer tudo. Tempo para dançar sozinha na sala. Tempo para bisbilhotar uma loja de discos. Tempo para sumir dois dias com seu amor. Três dias. Cinco dias!
Tempo para uma massagem. Tempo para ver a novela.
Tempo para receber aquela sua amiga que é consultora de produtos de beleza.
Tempo para fazer um trabalho voluntário.
Tempo para procurar um abajur novo para seu quarto.
Tempo para conhecer outras pessoas.
Tempo para voltar a estudar.
Para engravidar.
Tempo para escrever um livro que você nem sabe se um dia será editado.
Tempo, principalmente, para descobrir que você pode ser perfeitamente organizada e profissional sem deixar de existir.
Porque nossa existência não é contabilizada por um relógio de ponto ou pela quantidade de memorandos virtuais que atolam nossa caixa postal.
Existir, a que será que se destina?
Destina-se a ter o tempo a favor, e não contra.
A mulher moderna anda muito antiga. Acredita que, se não for super, se não for mega, se não for uma executiva ISO 9000, não será bem avaliada.
Está tentando provar não-sei-o-quê para não-sei-quem.
Precisa respeitar o mosaico de si mesma, privilegiar cada pedacinho de si.
Se o trabalho é um pedação de sua vida, ótimo!
Nada é mais elegante, charmoso e inteligente do que ser independente.
Mulher que se sustenta fica muito mais sexy e muito mais livre para ir e vir.
Desde que lembre de separar alguns bons momentos da semana para usufruir essa independência, senão é escravidão, a mesma que nos mantinha trancafiadas em casa, espiando a vida pela janela..
Desacelerar tem um custo.
Talvez seja preciso esquecer a bolsa Prada, o hotel decorado pelo Philippe Starck e o batom da M.A.C.
Mas, se você precisa vender a alma ao diabo para ter tudo isso, francamente, está precisando rever seus valores.
E descobrir que uma bolsa de palha, uma pousadinha rústica à beira-mar e o rosto lavado (ok, esqueça o rosto lavado) podem ser prazeres cinco estrelas e nos dar uma nova perspectiva sobre o que é, afinal, uma vida interessante'. (Martha Medeiros)
Elisa!

Sempre com assuntos interessantes...fiz o bolo e foi aprovado, delicioso e fácil mesmo!!!

Beijo
Diego Borges disse…
Nossa Elisa eu ainda não tinha visto não kkkkkkk Vou agradecer ainda hoje.Brigadão por me avisar :D.
Fico contente que minhas palavras tenham feito vc se sentir bem, sabendo disso eu fico bem também :D

Um abraço !!!!
Lilianne Mirian' disse…
Querida o título já diz tudo..
e nã oexiste nada melhor do q escrever,, sobre a sinceridde.. a sua.. a nossa a de cada um..
Fica muito mais fácil.. simpless

Liiindo seu blog
beiijo'
J.R disse…
Onde tem mulheres certinhas?????

Se aí no Japão tiver alguma... Me avise tá???


bjãoo!!
Makika disse…
Elisa, parabéns pelos posts sobre a sinceridade, blog que é blog sempre carrega pelo menos um pouco disso em cada post, e eu posso te garantir que o seu tem isso de sobra! Adoro o blog, não leio há muito tempo mas já adoro!
mais uma vez, parabéns!
Guilherme disse…
Oie,
Gostei do seu texto.
Parabens!!!
abs
Desabafando disse…
to de volta....eeee..estava sentindo falta de passar aqui...rsrsrs....quanto a culpa, não adianta carrega-la pq não vai mudar o passado vai? O que vc pode é se desculpar com a pessoa pratentar aliviar seu coração...a gente carrega peso demais dentro da gente....obrigada pelos seus conselhos e comentários lá...adorooo....vou ler os outros posts
Da Silva disse…
Ser certinho não dá camisa a ninguém, isso é um fato. O caminho mais rápido para não pegar ninguém é ser muito cavalheiro e respeitador.

Mas é óbvio que não dá pra ser cafajeste a vida inteira. Vai chegar a hora em que o cabra vai moderar isso naturalmente. Sem perder totalmente, é claro, pra não perder a pegada em casa com a patroa.

Outro engano recorrente é que as mulheres acreditam que homens não tem sentimentos. Eles apenas não os usam sempre, o que evita muitos problemas.

O negócio é ser mei o Che Guevara, endurecendo sem perder a ternura. bjs e obrigado pela visita

Postagens mais visitadas