Pular para o conteúdo principal

Livros




O livro que vou mostrar hoje se chama " Throw out Fifty Things" da autora norte-americana Gail Blanke.
Vou fazer propaganda gratuita, o livro foi lançado no Brasil pela editora Ediouro e se chama "Jogue Fora 50 Coisas "
A proposta principal é jogar fora 50 coisas desnecessárias. Ela começa pelo quarto, depois vai para o banheiro,
cozinha
quarto
Ela vai dando dicas de como escolher as coisas para jogar: roupas que não servem mais, remédios vencidos, revistas velhas, louças trincadas, sapatos fora de moda,
aquele vaso horrível que a sogra te deu mas vc não tem coragem de jogar fora, etc
Tudo de forma leve e bem-humorada.

Ela diz que a bagunça e lixo não são só as coisas visíveis. É também sentimentos ruins que te fazem mal mas vc insiste em guardar dentro de vc. Percebeu? Os capítulos são assim:

jogar fora o hábito de pensar no pior
abandonar o hábito de se sentir irrelevante e sem graça
desligar-se de arrependimentos e erros do passado
abandonar a necessidade de ser querida por todos.

Vcs já viram esse livro em português?
Gostei desse livro. A autora vai fazendo vc perceber coisas que passam despercebidas. Ela diz que a sua vida pode melhorar muito se jogar coisas materiais e emocionais que não servem mais. Que as duas coisas estão interligadas.


Falei desse livro para a Kiyomi e ela disse que jogou várias coisas fora e se sente melhor agora.





Estou lendo esse livro agora.
The Lost Symbol do autor Dan Brown.
Não vou contar a história aqui para não estragar a surpresa.
Mas posso dizer que tenho a impressão que o autor já sabe que esse livro vai virar filme.
Por isso no livro há só passagens que podem ser filmadas. Tem cenas que até consiguimos imaginar como serão num filme.


Comentários

Desabafando disse…
Ah, gostei da ideia desse livro aí! Ando precisando jogar fora umas coisas..rsrsrs..não só materialmente, fiquei interessada em ler! Será que tem aqui no Brasil? E acho sim que acumulamos muitas coisas desnecessárias, to precisando fazer uma arrumação aqui!

Ah, e obrigada pelo apoio de sempre tá! Ando muito lenta pra responder..rsrsrs...mas gosto mto de vc!
Andrea disse…
Elisa ,gostei muito do primeiro livro muito interessante .Devemos mesmo jogar muitas coisas foras ,materiais e de sentimentos .

Adorei saber o motivo de seu nome

beijão
Este comentário foi removido pelo autor.
Eu dou uma limpa de vez em quando em casa, daquelas "como se a gente fosse mudar de casa". Ou seja, que não dá pra levar nada além do essencial.

E muita coisa vai embora mesmo.

Aprendi a controlar a fonte do problema: a hora de comprar rs.Tudo a gente quer levar pra casa né?

O mais difícil é jogar fora o mau pensamento, o mau sentimento.

O livro tem em português, foi editado pela Ediouro.

Já os livros do Dan Brown tem cara de roteiro mesmo, tudo pronto para virar filme rs.

bjs e boa sexta (apaguei o comentário anterior pq errei o nome da editora do livro hahaha) bjs
R. disse…
Jogar fora, largar, deixar ir... são tudo coisas importantes a fazer para prosseguir caminho.:)

R.
mar e ilha disse…
Elisa, irei mudar e já estava planejando jogar várias coisas. Na verdade já começei pelo banheiro. O que joguei de cremes vencidos no lixo e outros que não usaria mais... O complicado é convencer o Marcello a desfazer de certas coisas... Agora passarei para a cozinha. Tem utensílios domésticos que nem sei para que servem. Vou passar para frente.
Agora jogar certos sentimentos no lixo é que é dificil. Eu por ex, gostaria de jogar fora o rancor e saber perdoar mais. Não sou boa nisso!!!
Ah, vou enviar para vc as saladas, no fim de semana pois está no meu cp de casa.Aguarde
Denise disse…
Olá Elisa!

Tive conhecimento do livro Jogue 50 coisas fora através da revista Criativa deste mês, que convidaram duas pessoas a fazer essa experiência e depois listaram o que escolheram, mto bacana. Uma delas jogou uma receita médica bem antiga que estava no banheiro e nem sabia porque estava lá!

Acho válido e todos devem fazer isso, faz um bem danado.

Quem tiver acesso a assinatura da Globo procure como "Desapego Já".
Lilianne Mirian' disse…
- Poxa que massaa!! Tô precisando mesmo de uma "ajudiinha" pra jogar algumas MUITAS coisas fora..
Adorei a dica!

Beijo Flor'
Maria Lúcia disse…
Oi
Eu gostaria de
jogar fora
um montão de coisa.
Beijos...
Lúcia.
Oi, Elisa!!! Estou atrás deste livro, na verdade. Vou tentar o original via amazon, quem sabe. Eu encontrei a versão em português no site da Folha de Sao Paulo. Realmente, depois que - aos poucos - estou desfazendo de muita coisa (material) inútil, estou sentindo-me mais aliviada. Eh que ao mesmo tempo, desfazendo de material inutil, a gente se desfaz das coisas ruins.
Estou precisando novamente fazer uma faxina geral no apertamento, sei que tenho coisas a desfazer...
Beijos!!!
menina,não li esse livro e nem quero kkkkkkk brincadeira kkkkkkk
eu já tenho a péssima mania de jogar coisas desnessárias fora, e coisas necessárias também kkkkkkkkkk mas deixando a parte material, é importante jogar fora pensamentos ruins e mágoas.isso eu ainda preciso aprender :D

adorei a dica,vou ver se acho esse livro ^^

bom final de semana,

bjs
lolipop disse…
Oi Elisa!
Um bom feng-shui inclui a ideia desse livro. Eu faço sempre na mudança de estações. Nunca li nada do Dan Brown porque sempre achei muito vocacionado para o sucesso para o meu gosto, mas aposto que o livro vai virar filme, sim.
BEIJOSS
Bah disse…
Eu preciso mesmo de uma faxina, mas acho que terá mais do que 50 coisas, pelo menos no meu quarto rs... esse outro livro não li... não me interessei pelo outro dele...

Kisu!
Daniel disse…
Interessante Elisa.
Os dois livros me parecem bons. Um sobre coisas que podem melhorar nossa própria pessoa, e o outro, provavelmente, sobre ficção. Mas sempre muito bons.

Daniel
Denise disse…
Oi Elisa, eu de novo!

O livro no Brasil se chama "Jogue 50 coisas fora" mesmo, foi lançado pela editora Ediouro e não tive oportunidade de ler ainda, só li aquela matéria da revista Criativa por acaso, qdo fui na livraria, a mesma matéria on line não consegui passar o link pq ele é restrito, só dá para acessar quem tem assinatura da Globo, mas achei outra matéria relacionada a esse livro, da revista Bons Fluidos:

http://bonsfluidos.abril.com.br/livre/edicoes/0138/jogar-coisas-fora.shtml

Qto ao céu de Birigui, ele continua próximo, entra ano sai ano ele continua lindo, parece que dá para pegar as estrelas!

Bjs ótima semana!

Postagens mais visitadas deste blog

7. Guêr ou ger, tenda-vivenda da Mongolia

Hoje vou mostrar como se monta uma tenda ou casa mongol. Ela se chama ger (guêr). Construir o ger fazia parte desta nossa viagem.
Na época que eu fui a temperatura estava entre 10 a 15 graus de manhã e a noite. Durante o dia estava entre 20 e 25 graus. Foi agradável e deu para fugir um pouco desse calor infernal que está fazendo no Japão esse ano.
Primeiro coloca-se a porta e estrutura da parede.
Em seguinda monta-se o pilar central dentro do ger. Colocam a base do teto. Olhem que gracinha esse menino no centro da foto.
Não sei se esse garotinho queria ajudar ou brincar, mas lá estava ele escalando a grade.
O esqueleto do ger é coberto com pano e cobertor de lã de camelo.
Cobrem o teto e paredes com tecidos grossos para proteger do frio. O menino ainda está lá.







Cobrem com o tecido branco característico de todos os gers. Meu filho quando pequeno também era assim, queria ajudar em tudo. Aliás, ele ajudou muito para fazer esse ger. E gostou da experiência.
Fiquei refletindo. Nós das cidades quando const…

8. Mongolia: roupas e comida

Hoje vou falar da roupa e comida da Mongólia.
Eu sei que Mongólia tem acento. Mas no título não coloquei de propósito porque assim, podem fazer um hit em inglês e pelo menos poderão ver as fotos. Já com acento acho que não aparecerá nas buscas em inglês.
A roupa que as mulheres estão usando se chama dêr. É longo, quentinho, protege bem do frio.
Com essa roupa as mulheres podem se afastam um pouco do ger (tendas) e vão fazer xixi. Elas se agacham e o dêr cobre tudo. Muito prático. Dá até para andar a cavalo.

A roupa típica dos nômades para homens também se chama dêr. O Dêr dos homens não é estampado como das mulheres. Esses dois homens, o do centro e do lado esquerdo usam dêr cinza com faixas coloridas. O homem da foto abaixo usa dêr azul. Na cabeça usam boné ou chapéu tipo ocidental. Eu acho que chapéu e bonê não combinam com o dêr. Mas o chapéu típico é assim: Imagine a metade de um coco. Em cima do coco, bem no meio fica um chifre comprido com uma bolinha na ponta. É meio esquisito, acho que por i…

Verduras no vapor

Ultimamente tenho usado essa cuscuzeira para cozinhar verduras e legumes. No vapor. Sempre achei que demorava muito para fazer batatas cozidas. Leva todo o tempo de esquentar a água. No vapor vai muito mais rápido. Depois da batata, experimentei cozinhar abóbora como na foto. Deu certo com vagem, espinafre (horensô), batata doce, quiabo, aspargos, etc.
É mais rápido, ecológico e as verduras ficam mais gostosas. Acho que perdem menos nutrientes porque eles não vão embora junto com a água do cozimento. Adoro soluções assim, boas em muitos sentidos.
Comprei essa cuscuzeira em São Paulo. Vc pode encontrar em casas do norte, que são lojas de produtos do nordeste. Lá no nordeste essa panela é muito usada para fazer cuscuz.
No começo eu só usava para fazer cuscuz. Hoje uso também para cozinhar verduras no vapor.