bidê / washlet - wô-shurêto



Estou chamando isso de bidê, mas na verdade, não existe bidê no Japão. Eu pelo menos nunca vi.


Aqui várias empresas produzem este tampo de vaso sanitário. Se chama washlet.
Acho que todas as mulheres mereciam um tampo assim. E os homens também. Homens e crianças também o usam.

É ótimo, muito prático. Ouvi que quase não existe fora do Japão.
O tampo é instalado em cima do vaso. Liga na tomada e pronto. O controle remoto pode ficar pregado na parede.
-Tem controle remoto.

-Bidê
-Liga, desliga
-Jato de água mais forte ou mais fraco
-Posição do jato de água.

-Regulagem da temperatura da água: quente ou frio
-O assento fica quente. No inverno, pode usar quente, no verão, frio.
Aqui acima vc pode ver o jato de água.

Tenho uma conhecida que usava aqui e gostou muito. Primeiro ela verificou se o tampo se adaptava no vaso do Brasil. Ela viu que sim, então comprou e levou.
Conheci uma pessoa que levou para o México também.


Comentários

Yuka99 disse…
Oi Elisa!
Esse "bidê" é o que preciso aqui, agora que o frio está chegando!
Bom, como andei sem tempo, vou falar um monte hoje.
Muito obrigada pelo post sobre os livros didáticos. Até já repassei para o pessoal que trabalha na área para trocarmos idéias. Para mim é muito legal ver que educar através de imagens é um caminho bom. Até já soube de jovens que vão prestar ventibular na área por influência de trabalhos antigos meus. Tô flz!
Sempre aprendo algo bacana com você amiga. Sempre congelei arroz daquele jeito que você falou (ainda no Japão) e agora estou fazendo igual com o alho. Achei muito prático.
Já cozinhei arroz desse jeito (oi de novo Angela!) e ficou muito bom. Vou experimentar com o ovo.
Tenho uma amiga que já experimentou fazer o cheese cake na panela de arroz, seguindo um post anterior seu. Disse que ficou uma delícia.
Beijo muito grande para você e sua família!
Yuka
SuNaomi disse…
Puxa, esse bidê parece ótimo! Só falta sair voando! Mas para mim, que não leio muito bem os kanjis, fica uma incógnita só esse controle remoto. É divertido imaginar tudo que o aparelhinho pode fazer. Mas todo mundo já deve ter passado pela experiência de ir para algum país desconhecido e encontrar geringonças (eletrônicas ou não) que não faz idéia de como usar, não é? Outro dia, fomos ao Eñe, um restaurante moderninho espanhol e a torneira do lavabo parecia uma pegadinha. Nada tecnológico como seu bidê, mas ficamos uns 2 minutos com aquela cara de interrogação para descobrir como acionar a água. Não vou te contar não. Vá lá ver, senão perde a graça.
Elisa no blog disse…
Oi Yuka,

Esse bidê fica quentinho no inverno. É ótimo. Podiam vender no Brasil, não?

Nem lembrava mais que te falei do arroz. Estou pensando em postar qualquer dia.

Fiquei contente: sua amiga fez o cheese cake de panela de arroz. Presumo que ela tinha um suihanki?
É o primeiro relato de alguém que fez algo que postei no blog. A receita nem é minha. Pedi para ver no blog da Emília, será que ela viu?

Tá famosa, hein? Deve ser um orgulho ver jovens terem se inspirado em trabalhos seus e irem fazer vestibular. Parabéns. Certamente vc serviu de modelo.

Qualquer dia vou postar mais sobre livros didáticos e outros livros.

Abraço para a sua família tb.

beijos,
Elisa
Elisa no blog disse…
OI SuNaomi,
Outro dia tentarei explicar melhor os kandis do controle.

E no fim vc descobriu onde aciona a torneira?

Uma vez fui a um museu, passei verginha. Porque não descobri de jeito nenhum onde era a descarga do banheiro. Até hoje não sei...
Acredita?

beijos,
elisa
fabi disse…
Elisa teu blogé muito legal! Não entendi direito este bbide mas deve ser bem prático, quem sabe daqui a uns 20 aninhos chegue por aqui,rsrsrs, fabi333