livro japonês

Hoje vou falar de livros. Os livros japoneses são diferentes dos ocidentais. Para começar, eles começam pelo que seria o fim de um livro em português. Como sou uma pessoa meio desligada, demorei anos para perceber isso. Para mim pareciam a mesma coisa. Só quando alguém me falou que eu percebi.

Poucas coisas me fazem perder a paciência e livro do Japão é uma delas.
Você vai ler o livro e quando vira as páginas, como nada fica colado ou preso, começa cair a capa, o obi, fica tudo fora de lugar. E isso acaba tirando a concentração. Já perguntei para japoneses e todos dizem fica tudo fora do lugar, mas que isso não incomoda de modo algum. Acho que o pessoal já está acostumado.

Observe bem: a coisa branca é o livro em si. A coisa cor-de-laranja é a capa do livro onde vem a ilustração dele. A coisa laranja mais forte se chama obi (o mesmo do obi de quimono); vem com comentários e elogios sobre o livro, enfim é a propaganda do mesmo. A coisa bege é a capa que oferecem quando compramos o livro. Não sei bem para que serve. Imagino que seja para proteger o livro. E também para esconder o título, já que muita gente lê em trens, metrô e supostamente fica com vergonha de revelar o que está lendo. O mercado editorial é muito amplo e por isso a concorrência é muito grande. Então inventam cada título e capa que realmente daria vergonha. O conteúdo mesmo não tem nada demais, acho que é só para chamar atenção mesmo.


Como podem ver é grande o desperdício de papel só para cobrir o livro.
Existem capas feitas de tecido que podem ser reutilizadas. Você acaba de ler um livro, tira a capa de tecido e pode usar em outro livro.
Não sei se teria uso no Brasil, mas fica para constar como informação para vocês que trabalham com tecidos. São capas muito bonitas, com tecido colorido de várias cores.






Comentários

Sonia disse…
Desculpe pelo que penso, apesar que achou dispendioso tantas capas, no Japao acho va'lido pois eles sao muito discretos e andam muito de conducao pu'blica ,nao precisam fazer propagandas do que leem.E mesmo assim ano passado vi um passageiro no trem lendo junto com o vizinho , foi bizarro, cada pagina que o outro virava ele estava c/o celular na mao voltava o olhar no cel.apesar que ele s'o virava os olhos.Como nao sao de muita conversa.
Elisa no blog disse…
Oi Sonia,
Acrescentei umas linhas nessa postagem, se puder por favor, veja logo abaixo da segunda foto.
Me diga se eu entendi direito: um passageiro estava lendo o livro do outro? Pareciam ser conhecidos? Também acho que acontecem coisas diferentes nos trens no Japão.
Elisa
JAPONAISE disse…
Oi Elisa,
Infelizmente,esse hábito não vejo aqui( das capas de tecidos)....eles ainda não tem essa consciencia do reutilizar.
Em vários livros japoneses,podem-se ver as várias opções desse tipo de capas. Acho super interessante já que curto embalagens e tecidos diferentes.
Adorei essa troca de info.
bjs,
JAki
Sonia disse…
Elisa, nao eram conhecidos , simplesmente sentou ao lado e estava lendo junto o livro, foi engraçado pqe.ele estava c/o celular na mão como se fosse ver e-mail ou algo assim....só que o olhar no livro do vizinho e qdo.o outro virava a pagina ele voltava o olhar p/o cel.ele nao mexia a cabeca e sim os olhos.......voltando as capas achei divino e criativo.
Elisa no blog disse…
Oi JAki,
Aqui muita gente tenta reutilizar materiais. Kimonos antigos viram bolsas, vestidos, almofadas, enfeites, etc... é bem interessante. Que bom que vc gostou da informação.
bj, Elisa
Elisa no blog disse…
Sonia,
Acontecem coisas bizarras nos trens. Como isso que vc me contou.
Eu nunca peguei o último trem da JR, o famoso shuuden, vc já pegou?
Já ouvi várias histórias inacreditáveis sobre o que acontece nesse último trem. Trens são espaços interessantes, há muitas histórias para contar.
bj.
Elisa