Pular para o conteúdo principal

Escola, livro


Alguém achou estranho, diferente que a formatura seja nessa época, então vou comentar.

No Japão, o ano letivo termina em março e o novo começa em abril. Então, todas as formaturas: de primário, ginásio, colegial, faculdade acontecem no final de março. (Os alunos tem férias de primavera do fim de março até começo de abril, o que seria mais ou menos de 25 de março a 5 de abril. Mas a data varia de escola para escola.)




Hoje vou falar de livros, ou melhor de um livro em especial, que eu gosto muito, que é o Harry Potter. Este da foto, acho que é o sexto livro. Alguém mais aí gosta também? Li todos, mas estou com peninha de ler este e o último, porque aí, acaba a série.
Harry Potter é sempre um pouco mais velho que o meu filho até agora.

Às vezes dava a impressão que ambos sentiam coisas parecidas. É claro que as fantasias não acontecem na vida real, mas há uma parte do Harry Potter que parece muito real. Acho que no que diz respeito aos sentimentos dele.

Um dos pontos fortes do livro é que Harry parece mais conhecido nosso que muitos conhecidos de verdade. Através do livro ficamos sabendo das suas dúvidas, angústias e alegrias. Existem pessoas (crianças e adolescentes, acho) que comemoram o aniversário do Harry Potter, se reúnem, fazem festinha e tudo. Eu não chego a esse ponto. Não lembro exatamente o dia, mas o aniversário dele é em julho, como o meu.


Não sei se alguém mais sente o mesmo, mas dá a impressão que a autora escreveu o livro somente para mim. Que ela está contando quase um segredo para uma pessoa só. Quando leio outros livros, por melhor que ele sejam, dá a impressão que foi escrito para um grande público.

Se vc ainda não leu, recomendo. Você terá anos de diversão. Ou talvez lerá 800 páginas em um dia como muita gente. Eu demoro bem mais.


Balinhas

Isso não é nada, não. Só para adoçar um pouco a vida. Acima são balas da Mongólia. Eu nunca tinha visto, é só para mostrar para você.


Essas são balinhas tradicionais japonesas. Não são bonitinhas?


Comentários

Yuka99 disse…
Eu e minhas filhas somos Pottermaníacas. Elas começaram a ler os livros muito novinhas e o Harry Potter realmente faz parte de nossas vidas, falamos dele como se fosse um amigo nosso.

Sobre as balinhas, da Mongólia e do Japão, quanta delicadeza da sua parte, adorei!
Elisa no blog disse…
OI Yuka,
Obrigada pelo comentário.
Não sabia que vcs. gostavam de Harry Potter! Que bom saber, teremos ainda mais assunto para conversar. Vc também sente como se ele fosse um amigo? Que genial!
Já leram todos? Em português?

Quanto às balinhas, só vc mesma para achar que foi uma delicadeza.
A delicadeza está em você também que se sentiu assim. Afinal, acho que só sentimos o que somos, não acha? Se não somos, não dá para inventar um sentimento.

Obrigada.

beijos,
Elisa
AL. disse…
oi amore
eu nao gosto de Harry potter
mas acho legal quem tem o hábito de acompanhar uma série em livros.
outro que eu não entendo como as pessoas leem é o Senhor dos Anéis. rsrs acho tão viajado!
hahhaa

boa semana pra vc, espero que esteja tudo bem por aí com todos (filhote, marido e vc)

besos

Postagens mais visitadas deste blog

7. Guêr ou ger, tenda-vivenda da Mongolia

Hoje vou mostrar como se monta uma tenda ou casa mongol. Ela se chama ger (guêr). Construir o ger fazia parte desta nossa viagem.
Na época que eu fui a temperatura estava entre 10 a 15 graus de manhã e a noite. Durante o dia estava entre 20 e 25 graus. Foi agradável e deu para fugir um pouco desse calor infernal que está fazendo no Japão esse ano.
Primeiro coloca-se a porta e estrutura da parede.
Em seguinda monta-se o pilar central dentro do ger. Colocam a base do teto. Olhem que gracinha esse menino no centro da foto.
Não sei se esse garotinho queria ajudar ou brincar, mas lá estava ele escalando a grade.
O esqueleto do ger é coberto com pano e cobertor de lã de camelo.
Cobrem o teto e paredes com tecidos grossos para proteger do frio. O menino ainda está lá.







Cobrem com o tecido branco característico de todos os gers. Meu filho quando pequeno também era assim, queria ajudar em tudo. Aliás, ele ajudou muito para fazer esse ger. E gostou da experiência.
Fiquei refletindo. Nós das cidades quando const…

8. Mongolia: roupas e comida

Hoje vou falar da roupa e comida da Mongólia.
Eu sei que Mongólia tem acento. Mas no título não coloquei de propósito porque assim, podem fazer um hit em inglês e pelo menos poderão ver as fotos. Já com acento acho que não aparecerá nas buscas em inglês.
A roupa que as mulheres estão usando se chama dêr. É longo, quentinho, protege bem do frio.
Com essa roupa as mulheres podem se afastam um pouco do ger (tendas) e vão fazer xixi. Elas se agacham e o dêr cobre tudo. Muito prático. Dá até para andar a cavalo.

A roupa típica dos nômades para homens também se chama dêr. O Dêr dos homens não é estampado como das mulheres. Esses dois homens, o do centro e do lado esquerdo usam dêr cinza com faixas coloridas. O homem da foto abaixo usa dêr azul. Na cabeça usam boné ou chapéu tipo ocidental. Eu acho que chapéu e bonê não combinam com o dêr. Mas o chapéu típico é assim: Imagine a metade de um coco. Em cima do coco, bem no meio fica um chifre comprido com uma bolinha na ponta. É meio esquisito, acho que por i…

Verduras no vapor

Ultimamente tenho usado essa cuscuzeira para cozinhar verduras e legumes. No vapor. Sempre achei que demorava muito para fazer batatas cozidas. Leva todo o tempo de esquentar a água. No vapor vai muito mais rápido. Depois da batata, experimentei cozinhar abóbora como na foto. Deu certo com vagem, espinafre (horensô), batata doce, quiabo, aspargos, etc.
É mais rápido, ecológico e as verduras ficam mais gostosas. Acho que perdem menos nutrientes porque eles não vão embora junto com a água do cozimento. Adoro soluções assim, boas em muitos sentidos.
Comprei essa cuscuzeira em São Paulo. Vc pode encontrar em casas do norte, que são lojas de produtos do nordeste. Lá no nordeste essa panela é muito usada para fazer cuscuz.
No começo eu só usava para fazer cuscuz. Hoje uso também para cozinhar verduras no vapor.