Pular para o conteúdo principal

Furoshiki



Me perguntaram o que é furoshiki. É um pano que os japoneses usam para embrulhar ou envolver objetos. São usados no lugar de bolsas. Ou melhor, acho que na época em que tudo era muito precário no Japão, não existiam bolsas nem sacolas. E eles se viravam muito bem com o furoshiki, que é um lenço quadrado de seda ou algodão em geral.



Fui à casa de uma amiga colombiana hoje e ela me disse que ganhou esses mini-furoshikis. Essa caixinha tem cerca de 10cm. Mas os furoshikis de verdade são bem maiores. Esse pano lindo embaixo da caixinha é um obi (faixa para kimono). Ela usa em cima de um móvel.

Aqui tem outro tipo de mini-furoshiki. Aqui ele está sendo usado para embrulhar um presente.
Aqui está o furoshiki aberto. Dentro tem uma caixa com um mini-owán (cumbuca de tomar sopa).
Furoshikis servem para embrulhar presentes ou levar caixas, pratos grandes para alguma festa, para embrulhar bebidas, livros. Dá para embrulhar de tudo com furoshiki. Eles andavam totalmente fora de moda. Mas hoje em dia, voltam a ser usados como opção ecológica. Afinal, ao usar o furoshiki, não precisamos de sacolas de plástico ou papel. E o furoshiki pode ser usado repetidamente. Outro dia vou postar outros furoshikis maiores e mostrar como embrulhar objetos. Aguardem.



Pães

Veio uma visita hoje e ela trouxe esses pães. Fazem pães deliciosos aqui no Japão.



Obentô


Meu filho começou a levar obentô para a escola. Obentô é a comida que você leva para comer fora de casa. Nesse obentô acima tem renkon(raiz de lótus), tomatinhos, maçã, frango frito e pimentão frito. Não está na foto mas ele levou arroz também. Outro dia explicarei melhor o que é o obentô. Por hoje não quero cansar vocês com muita coisa para ler.







Comentários

Angela disse…
Olá Elisa,
Hummmm! Esse obentô parece ser delicioso, sempre compro aqui mas, mts já me disseram que o daí é melhor.
Elisa vc acredita que já ganhei ( faz mtos anos) presentes embrulhados em lenços (deve ser o furoshiki)e vc se lembra de um cartão que costuma-se usar em cima do presente (norigami)? Não sei se ainda usam.
Bem , vc está a td vapor, cheia de informações sobre esse país maravilhoso que sabe sem dúvida crescer, se inovar sem apagar as tradiições.
Abraço, ótima semana!
sonia disse…
Oi Elisa?
Estes furoshikis nao gostava muito, alias nao me interessava, hoje comprei de alguns modelitos e estou gostando.....e a comida japonesa daqui 'e muito melhor do que do Brasil, bem.... tem que ser melhor nao 'e? e acredite se quiser mais barato que no Brasil.....
BJs.
Elisa no blog disse…
Oi Angela,
Você gosta de obentô e compra? Que legal. O daí é muito bom tb., mas aqui acho que tem mais tipos por ter mais consumidores, acho.

O lenço era grande? De seda? Então é furoshiki. Mas tem sintéticos tb.

O papel que se coloca em cima do presente se chama noshi. Ainda usa sim, e muito. Os dizeres vem diferentes para cada uso. Fiz uma postagem sobre algo relacionado. Acho que foi antes de vc ter começado a ver o blog.

Nossa, vc conhece muitas coisas do Japão! Acho que tem muito descendente que não sabe o que é noshi e nem come obentô. Vc conhece muito.

beijos,
elisa
Elisa no blog disse…
Oi Sonia,
Eu também não gostava muito de furoshiki. Na verdade eu nem ligava muito, achava que era coisa dos tempos da vovó. Sem quere ofender as avós.
Mas depois que eles voltaram , estão muito mais bonitos, práticos e interessantes.

Mas por outro lado, fazer comida brasileira aqui no Japão sai mais caro que no Brasil, muito mais caro, não acha?
beijos,
elisa
JAPONAISE disse…
Oi, Elisa
Que legal,vc falar de furoshikis....essa é a "minha praia"!
Sou uma curiosa desta arte 'a muito tempo e agora Tati e eu,estamos fazendo bolsas e usá-lo já faz parte do meu dia-a-dia.
Tenho um grande(1,05x1,05)onde carrego tudo!
E para sair,fiz uns menores que são mais chics,de tafetá!!!!!
Adorei!!!!!adorei!!!!!!
bjs,
JAki
Elisa no blog disse…
Oi JAki,
Que bom que vc gostou dessa postagem. Me anima a continuar escrevendo e procurando assuntos.
Que furoshiki grande de um metro?
Pretendo mostrar mais sobre furoshiki no futuro. Mas acho que vc e a Tati sabem até mais do que eu sobre furoshiki.

Não sei se vc se lembra, vc me perguntou sobre uma torta de atum.

Acho que comentei que levei a um picnic, mas não tinha tirado foto.

Agora eu fiz, postei foto e receita. Acho que foi há uma semana, não sei se vc viu. A postagem se chama Torta de atum.
Essa fiz para vc, mas resolvi postar para que todos pudessem ver.

beijos,
Elisa
JAPONAISE disse…
Claro que vi, Elisa!
Obrigada! mas é por pura falta de tempo que ainda não fiz.
Estamos( Tati e eu)numa maratona de bazares,aproveitando a data do Dia das Mães...e ai,quando é? no 2º domingo de Maio,como aqui?
E somos somente,descendentes de japoneses,que gostam dessa arte tão admirável e interessante!!!!!E sob o nosso olhar,que apresentamos os furoshikis "made myself"!!!!!
bjs,
JAki
Elisa no blog disse…
OI JAki,
Imagino a correria que vcs estão.
Desejo boas vendas para vcs para os artigos de dias das mães.
Quando tiver um tempinho me conte como nasceu o interesse por furoshikis.
beijos,
elisa
JAPONAISE disse…
Oi, Elisa
Há uns 5 anos trás,comecei a trabalhar em um atelier de ceramica,onde fazia aulas tbém.
Por ser um lugar super diferenciado ,comecei fazendo os aventais do atelier( coloridos,conforme o gosto da cada aluna)e como sempre gostei de embalagens...fazia as de presente de lá e uma amiga,trouxe um furoshiki (saquinho)bem surrado e pediu que fizesse um igual.Quebrei a cabeça para entender,mas sem problemas consegui ....e comecei a usá-los para embalar as ceramicas. Ficaram perfeitos!!!!!!
E de lá para cá,ele tem estado nas peças que produzo e no meu dia-a-dia.
É o olhar de uma descendente,que aprecia muito essa arte e a valoriza.E este ano,Tati e eu começamos a usá-lo em nosso novo projeto que são as bolsas.
Procuro passar essa consciencia dos 4R: reduzir,reusar,reciclar e agora,respeitar.....do projeto Mottainai( vc conhece?) e aplica-la,tbém.
Legal,não é?
bjs,
JAki
Elisa no blog disse…
Oi JAki,
Obrigada pelo comentário.
Gostei muito do que vc escreveu.
Encontrei na livraria uns livros muito bonitos sobre furoshiki que a Tati pediu para ver. Preciso escrever para ela.
Agora entendi um pouco mais como começou seu interesse por furoshiki. Muito legal.
Ouvi que a palavra mottainai está se tornando internacional por causa do conceito que remete à causas ecológicas. Mas o projeto em si acho que não conheço muito bem. É do Japão ou do Brasil?
Vi no blog da Japonique que vc e a Tati vão fazer um workshop no sábado. Muito boa sorte, estarei torcendo por vocês!

beijos,
Elisa
JAPONAISE disse…
Oi, Elisa
O Mottainai Furoshiki foi criado pela min. do Meio Ambiente, Yuriko Koike,como um símbolo da cult. japon. para reduzir o desperdício e cuja caract. importante é " o reuso,sempre!"
A estampa e o tecido criados ,para esse projeto,é feita da fibra 'a partir de garrafas PET recicladas e tem motivos de aves e flores,desenhados por Itoh Jakuchu(pintor da Era EDO)....e é resistente,reutilizável e polivalente.
E não é de se apaixonar???? fico encantada com essa arte!
E depois te contamos do nosso workshop.....estamos trabalhando muuuuitooooo.
bjs,
JAki
Elisa no blog disse…
Oi JAki,
Obrigada pela explicação.
Não conhecia todos esses detalhes.
Muitas vezes vocês que moram fora do Japão sabem mais do que a gente que está aqui. E isso é muito positivo.
Vou procurar saber mais sobre o projeto.
beijos,
Elisa
Por coincidência, mais ou menos o que havia postado sobre o furoshiki.
Olha, eu acho que o universo está conspirando pra gente fazer uma campanha pros brasileiros aderirem ao furoshiki.
Tem tudo pra dar certo!
........
Espero que tenha melhorado da gripe e da queimadura que voce mencionou em outro post.
Beijos..

Postagens mais visitadas deste blog

7. Guêr ou ger, tenda-vivenda da Mongolia

Hoje vou mostrar como se monta uma tenda ou casa mongol. Ela se chama ger (guêr). Construir o ger fazia parte desta nossa viagem.
Na época que eu fui a temperatura estava entre 10 a 15 graus de manhã e a noite. Durante o dia estava entre 20 e 25 graus. Foi agradável e deu para fugir um pouco desse calor infernal que está fazendo no Japão esse ano.
Primeiro coloca-se a porta e estrutura da parede.
Em seguinda monta-se o pilar central dentro do ger. Colocam a base do teto. Olhem que gracinha esse menino no centro da foto.
Não sei se esse garotinho queria ajudar ou brincar, mas lá estava ele escalando a grade.
O esqueleto do ger é coberto com pano e cobertor de lã de camelo.
Cobrem o teto e paredes com tecidos grossos para proteger do frio. O menino ainda está lá.







Cobrem com o tecido branco característico de todos os gers. Meu filho quando pequeno também era assim, queria ajudar em tudo. Aliás, ele ajudou muito para fazer esse ger. E gostou da experiência.
Fiquei refletindo. Nós das cidades quando const…

8. Mongolia: roupas e comida

Hoje vou falar da roupa e comida da Mongólia.
Eu sei que Mongólia tem acento. Mas no título não coloquei de propósito porque assim, podem fazer um hit em inglês e pelo menos poderão ver as fotos. Já com acento acho que não aparecerá nas buscas em inglês.
A roupa que as mulheres estão usando se chama dêr. É longo, quentinho, protege bem do frio.
Com essa roupa as mulheres podem se afastam um pouco do ger (tendas) e vão fazer xixi. Elas se agacham e o dêr cobre tudo. Muito prático. Dá até para andar a cavalo.

A roupa típica dos nômades para homens também se chama dêr. O Dêr dos homens não é estampado como das mulheres. Esses dois homens, o do centro e do lado esquerdo usam dêr cinza com faixas coloridas. O homem da foto abaixo usa dêr azul. Na cabeça usam boné ou chapéu tipo ocidental. Eu acho que chapéu e bonê não combinam com o dêr. Mas o chapéu típico é assim: Imagine a metade de um coco. Em cima do coco, bem no meio fica um chifre comprido com uma bolinha na ponta. É meio esquisito, acho que por i…

Verduras no vapor

Ultimamente tenho usado essa cuscuzeira para cozinhar verduras e legumes. No vapor. Sempre achei que demorava muito para fazer batatas cozidas. Leva todo o tempo de esquentar a água. No vapor vai muito mais rápido. Depois da batata, experimentei cozinhar abóbora como na foto. Deu certo com vagem, espinafre (horensô), batata doce, quiabo, aspargos, etc.
É mais rápido, ecológico e as verduras ficam mais gostosas. Acho que perdem menos nutrientes porque eles não vão embora junto com a água do cozimento. Adoro soluções assim, boas em muitos sentidos.
Comprei essa cuscuzeira em São Paulo. Vc pode encontrar em casas do norte, que são lojas de produtos do nordeste. Lá no nordeste essa panela é muito usada para fazer cuscuz.
No começo eu só usava para fazer cuscuz. Hoje uso também para cozinhar verduras no vapor.