Pular para o conteúdo principal

30 anos de Gundam

Fomos no dia 25, sábado a Nagoya para ver esse evento. É aniversário de 30 anos do desenho Gundam ( os japoneses leem Gán-dámu).


Haviam milhares de pessoas, não acreditei! 4 horas de fila para comprar produtos relacionados ao evento. 4 horas. Para o Gundam não tem crise.
Teve show de músicas da trilha sonora dos desenhos Gundam. Pediram para não gravar nem tirar fotos. Foi impressionante, os japoneses que fotografam tudo guardaram suas câmeras. Que povo obediente! Acho que só eu tirei uma fotinha.

Quem tiver curiosidade, pode encontrar site na internet e vídeos no Youtube.

Comentários

Mônica disse…
Elisa
estou de volta a BH. Agora é a vez da Andrea descansar. ela foi para Pirapora. Disse que chegou bem e que o lugar é maravilhoso.

Hoje vou escrever um pouquinho, mas como sou antiga e a minha máquina também amanha vou levar para revelar no centro. Hoje mamae e eu vamos ao dentista. Na minha irmã Elisa mesmo. Mas tenho que acompanha-la. Ainda mais depois do tombinho.

Este lugar cheio de coisas diferentes me impressionou. E continuo a lembrar dos desenhos da minha infancia. Mas para quem vou perguntar? As gemeas são 8 anos de diferença de mim. Eram outros desenhos.E a Elisa 5 anos de diferença.
Com carinho Monica
Angela disse…
Olá,
Esse boneco é mesmo mto famoso, não é de assustar que ele faça tanto sucesso entre os japoneses, pois, ele representa a força, o poder, td o que os jovens querem.
Está td bem? Ótima semana pra vc.
Bjs
Desabafando disse…
pelo que tenho acompanhado aqui, os japoneses adoram esses desenhos com robozinhos né!
Lisa Nunes disse…
Elisa querida,

Eu nunca tinha ouvido falar no Gudan antes de você apresentá-lo aqui , no seu espaço. O Gudan realmente um ícone para os japoneses, acho muito interessante como eles festejam e cultivam certas tradições, pois eles sabem manter a história viva entre eles.
Um Grande abraço e uma linda semana pra você
Mônica disse…
Elisa
Lá em santo antônio do amparo existe alguma senhoras que fazem bolos. Mas a Yara é unica. Ela consegue acabar com um bolo enorme no mesmo dia da festa. O bolo não fica doce de doer atras das orelhas como alguns. Ele é saboroso demais.. Se ela morasse aqui ia ganhar rios de dinheiro. O preço é bem em conta. O que pedi para fazer pro Raplael custou 40 reais. Não era muito grande. Mas as 20 pessoas comeram até.
Mas ela não ensina a receita para ninguem. Deve haver algum segredo no meio.
E eu estava com muito sono porque o Raphael chegou tarde e não tirei fotos.
Mas outro dia que for lá vou comprar e tirar para voce ver. Ela também é habilidosa na decoração.
No meu aniversário de 40 anos, a mamae pediu que fizesse um bolinho pequenino para cada um dos pais e pessoas da comunidade, porque eles não foram no almoço, nem na festa a tarde que mamae preparou na cidade.
Pena que também não tirei foto, mas ficou além de bonito delicioso. E uma coisa unica, ninguem fez mais. Só a mamae para pensar nisto. Ela disse que queria um petit gateau.
Com carinho
Monica
Estou doida para amnahecer e ler o que escreveu. E a primeira coisa que faço.
Aninha Leme disse…
pow
vou comprar um robô desse! daria um ótimo namorado! nem reclamaria do meu jeito ranzinza aposto!
kkkkkkk

beijosssssss

Postagens mais visitadas deste blog

7. Guêr ou ger, tenda-vivenda da Mongolia

Hoje vou mostrar como se monta uma tenda ou casa mongol. Ela se chama ger (guêr). Construir o ger fazia parte desta nossa viagem.
Na época que eu fui a temperatura estava entre 10 a 15 graus de manhã e a noite. Durante o dia estava entre 20 e 25 graus. Foi agradável e deu para fugir um pouco desse calor infernal que está fazendo no Japão esse ano.
Primeiro coloca-se a porta e estrutura da parede.
Em seguinda monta-se o pilar central dentro do ger. Colocam a base do teto. Olhem que gracinha esse menino no centro da foto.
Não sei se esse garotinho queria ajudar ou brincar, mas lá estava ele escalando a grade.
O esqueleto do ger é coberto com pano e cobertor de lã de camelo.
Cobrem o teto e paredes com tecidos grossos para proteger do frio. O menino ainda está lá.







Cobrem com o tecido branco característico de todos os gers. Meu filho quando pequeno também era assim, queria ajudar em tudo. Aliás, ele ajudou muito para fazer esse ger. E gostou da experiência.
Fiquei refletindo. Nós das cidades quando const…

8. Mongolia: roupas e comida

Hoje vou falar da roupa e comida da Mongólia.
Eu sei que Mongólia tem acento. Mas no título não coloquei de propósito porque assim, podem fazer um hit em inglês e pelo menos poderão ver as fotos. Já com acento acho que não aparecerá nas buscas em inglês.
A roupa que as mulheres estão usando se chama dêr. É longo, quentinho, protege bem do frio.
Com essa roupa as mulheres podem se afastam um pouco do ger (tendas) e vão fazer xixi. Elas se agacham e o dêr cobre tudo. Muito prático. Dá até para andar a cavalo.

A roupa típica dos nômades para homens também se chama dêr. O Dêr dos homens não é estampado como das mulheres. Esses dois homens, o do centro e do lado esquerdo usam dêr cinza com faixas coloridas. O homem da foto abaixo usa dêr azul. Na cabeça usam boné ou chapéu tipo ocidental. Eu acho que chapéu e bonê não combinam com o dêr. Mas o chapéu típico é assim: Imagine a metade de um coco. Em cima do coco, bem no meio fica um chifre comprido com uma bolinha na ponta. É meio esquisito, acho que por i…

Verduras no vapor

Ultimamente tenho usado essa cuscuzeira para cozinhar verduras e legumes. No vapor. Sempre achei que demorava muito para fazer batatas cozidas. Leva todo o tempo de esquentar a água. No vapor vai muito mais rápido. Depois da batata, experimentei cozinhar abóbora como na foto. Deu certo com vagem, espinafre (horensô), batata doce, quiabo, aspargos, etc.
É mais rápido, ecológico e as verduras ficam mais gostosas. Acho que perdem menos nutrientes porque eles não vão embora junto com a água do cozimento. Adoro soluções assim, boas em muitos sentidos.
Comprei essa cuscuzeira em São Paulo. Vc pode encontrar em casas do norte, que são lojas de produtos do nordeste. Lá no nordeste essa panela é muito usada para fazer cuscuz.
No começo eu só usava para fazer cuscuz. Hoje uso também para cozinhar verduras no vapor.