Pular para o conteúdo principal

Motos 2

Hoje estava calor. 30 graus e muito úmido.
Mudando totalmente de assunto de ontem, hoje vou falar de motos.
Prometi postar sobre motos BMW e enfim achei. Acho que é a segunda que vejo no Japão. Devem haver muitas, mas desconfio que o pessoal deixa em casa.

Achei essa moto estacionada em frente ao Sankei-en, parque onde tirei as fotos das flores de lótus. Reparem ali atrás tem uma máquina de venda de refrigerantes e sucos.

Aqui um detalhe dela para verem o modelo. Não faço ideia do que seja tudo isso! 1.150 são cilindradas? Mas tudo isso? 50 cc já corre bastante, para que tanto?

Enfim, quem anda de moto fala que a velocidade é uma delícia.


Ao que parece os motoqueiros do Japão tem a mania de largar coisas em cima da moto. Fiz uma postagem sobre motos há um tempo atrás e alguém reparou que tinha uma sacola de viagem solta na garupa da moto.
Eis que esse belo casaco e o capacete estão soltos em cima da moto, na foto logo acima. E naturalmente ninguém vai levar embora. Afinal, aqui ninguém bota a mão no que não é seu.
Quando some alguma coisa, (por que de vez em quando some também), as pessoas ficam super surpresas.
Coisas de Japão.

Comentários

Anônimo disse…
Motos da BMW não são motos, são esculturas a motor.....
Só para se ter uma idéia, a letra R do ínicio designa um tipo de motor, no caso "boxer", com cilindros a 180 graus que foi criado a mais de 80 anos.......
É a mesma concepção de motor dos carros da Porsche.
Atulamente esses motores tem 1200 cilindradas.
abraços a todos!
Mônica disse…
A unica coisa que papai proibia era que andassemos de moto. A Elisa o enganava, mas eu tinha muito medo, então só uma vez andei.

Em Araxá tinha um passeio numa cachoeira, mas só podia ir quem soubesse andar de moto.
Eu fiquei morrendo de vontade, porque lá era o lugar que faziamos piquenique. Mas ainda bem que não fui, porque o casal que foi disse que a cachoeira tinha acabado.

Com carinho Monica

Sabe o que fiquei fazendo ontem? Vendo o enterro do Michael e depois fui no médico com mamae.
Aninha Leme disse…
tenho medo de andar de moto.
mas tenho uma história pra contar:
quando eu era pequena, eu ia passar as minhas férias escolares no Rio de Janeiro na casa dos meus avós.
Meu avô, que sempre gostou de moto, me colocava na garupa e me levava pra passear.
Preciso dizer que eu não gostava muito, porque sempre fui muuuuito medrosa!! kkkk
Agora, a pedinte aqui queria que vc postasse algo sobre os relacionamentos no Japão. Será que são como os nossos aqui no BR?
conta tudo!!!

beijos, e pra variar, adorei seu comentário no meu blog!!! :-)
Andrea disse…
Eu NUNCA andei de moto ,a principio porque meu pai ãchava o fim a gente andar de moto e depois mesmo tendo oportunidades nunca quiz ,por medo mesmo ..Se aqui no Brasil algúem "esquecesse " o capacete em cima da moto não ia durar lá nem um segundo ,,que triste ,ne??/

Qto a foto do meu post , a menina maior é a Monica ,depois Renato,nós duas gêmeas ,que infelizmente não sabemos quem é quem porque eramos realmente muito parecidas , depois o Homero e a outra menina a Elisa sua xará ..
Angela disse…
Elisa,
Pode responder onde vc achar mais fácil e gosto mto qdo vc passa lá no meu blog. Velocidade é ótimoooooooo, desde que num lugar apropriado, já andei várias vezes como carona mas, tenho sonho de dirigir uma e nem precisa ser uma fantástica como essa do post, rsrsrs.
Linda moto, mto interessante o assunto, parabéns amiga, vc está no profissão repórter,rsrsrs!
Bjs
Angela disse…
Elisa tchan,

Pena que não fiz meus pedidos,pensei que tinha de amarrar no bambu para dar certo.
Amiga, vou tentar hoje, estamos na lua cheia, quem sabe?
Bjs
Claudinha disse…
Elisa, eu adoroooo a tudo relacionado ao Japão! sou fã de Mangas! rs

Tô adorando seu blog! :)
beijos
Lisa Nunes disse…
País de primeiro mundo,é outra coisa. Imagina se aqui vão deixar uma moto tão a vontade,com as coisas soltas em cima?!

Eu gosto de andar de moto. Quando adolescente, tinha um namoradinho que ia me buscar no colégio de moto, eu adorava sentir o vento e a adrenalina, acho que mais por que o namoro era escondido...

As fotos tão lindas.
E você, dirige uma destas?

Postagens mais visitadas deste blog

7. Guêr ou ger, tenda-vivenda da Mongolia

Hoje vou mostrar como se monta uma tenda ou casa mongol. Ela se chama ger (guêr). Construir o ger fazia parte desta nossa viagem.
Na época que eu fui a temperatura estava entre 10 a 15 graus de manhã e a noite. Durante o dia estava entre 20 e 25 graus. Foi agradável e deu para fugir um pouco desse calor infernal que está fazendo no Japão esse ano.
Primeiro coloca-se a porta e estrutura da parede.
Em seguinda monta-se o pilar central dentro do ger. Colocam a base do teto. Olhem que gracinha esse menino no centro da foto.
Não sei se esse garotinho queria ajudar ou brincar, mas lá estava ele escalando a grade.
O esqueleto do ger é coberto com pano e cobertor de lã de camelo.
Cobrem o teto e paredes com tecidos grossos para proteger do frio. O menino ainda está lá.







Cobrem com o tecido branco característico de todos os gers. Meu filho quando pequeno também era assim, queria ajudar em tudo. Aliás, ele ajudou muito para fazer esse ger. E gostou da experiência.
Fiquei refletindo. Nós das cidades quando const…

8. Mongolia: roupas e comida

Hoje vou falar da roupa e comida da Mongólia.
Eu sei que Mongólia tem acento. Mas no título não coloquei de propósito porque assim, podem fazer um hit em inglês e pelo menos poderão ver as fotos. Já com acento acho que não aparecerá nas buscas em inglês.
A roupa que as mulheres estão usando se chama dêr. É longo, quentinho, protege bem do frio.
Com essa roupa as mulheres podem se afastam um pouco do ger (tendas) e vão fazer xixi. Elas se agacham e o dêr cobre tudo. Muito prático. Dá até para andar a cavalo.

A roupa típica dos nômades para homens também se chama dêr. O Dêr dos homens não é estampado como das mulheres. Esses dois homens, o do centro e do lado esquerdo usam dêr cinza com faixas coloridas. O homem da foto abaixo usa dêr azul. Na cabeça usam boné ou chapéu tipo ocidental. Eu acho que chapéu e bonê não combinam com o dêr. Mas o chapéu típico é assim: Imagine a metade de um coco. Em cima do coco, bem no meio fica um chifre comprido com uma bolinha na ponta. É meio esquisito, acho que por i…

Verduras no vapor

Ultimamente tenho usado essa cuscuzeira para cozinhar verduras e legumes. No vapor. Sempre achei que demorava muito para fazer batatas cozidas. Leva todo o tempo de esquentar a água. No vapor vai muito mais rápido. Depois da batata, experimentei cozinhar abóbora como na foto. Deu certo com vagem, espinafre (horensô), batata doce, quiabo, aspargos, etc.
É mais rápido, ecológico e as verduras ficam mais gostosas. Acho que perdem menos nutrientes porque eles não vão embora junto com a água do cozimento. Adoro soluções assim, boas em muitos sentidos.
Comprei essa cuscuzeira em São Paulo. Vc pode encontrar em casas do norte, que são lojas de produtos do nordeste. Lá no nordeste essa panela é muito usada para fazer cuscuz.
No começo eu só usava para fazer cuscuz. Hoje uso também para cozinhar verduras no vapor.