Pular para o conteúdo principal

Íris


Ontem recebi comentário dizendo que aqui no Japão tem tanque sim. Na verdade eu quis dizer que em casa e apto. típico dos japoneses não existe tanque. Faltou a explicação.

Acho que engordei um pouco, então fui caminhar hoje de manhã no Sankei-en, um parque que fica aqui perto de casa.



Agora é tempo de íris. Estavam uma beleza.
Do lado direito dá para ver algumas carpas na água.

Aqui mais de perto. Flores de várias cores.
Na semana passada teve noite do vagalume no Sankei-en. Fui lá com meu filho mas só conseguimos ver dois. Ficamos com os sapatos cheios de lama. O meu filho falou que o chão estava parecendo brigadeiro. Tem passeios que não dão certo, mas mesmo assim foi legal de outra maneira. A noite estava agradável e deu para ver íris.

Receita sem nome
Peguei no canal japonês NHK o finzinho de uma receita. Não sei como se faz, procurei na internet, mas a receita não aparece no mesmo dia. Fiz a olho. Na minha receita coloquei batatas cozidas, kabu cozido, molho branco em camadas. Na camada superior, tomates cortados em rodelas, brócolis, queijo e camarões pequenos. Sal a gosto. Esqueci o sal, não ficou bom. Tive que acrescentar depois.

Bom dia para vocês.
Beijos.

Comentários

Mônica disse…
A receita sem nome deve ser uma delicia.
Vou pedir para minha irmã fazer.
A Iris, parece uma plamtação.
Que beleza!
eu achei lindo demais.
Com carinho
Monica
Lisa Nunes disse…
Olá Elisa
conheci seu Blog através da Mônica e da Andrea, as quais são minhas amigas e eu as adoro, em particular.
Adorei seu Blog, principalmente por que me interesso muito pela cultura oriental, em especial pela japonesa. Aqui em Porto Alegre, tem um restaurante que amo demais, se chama GOKAN(os 5 sentidos em japonês) acesse http://www.gokan.com.br/sushi/index.php e conheça um pouquinho do que estou a dizer. Um grande abraço pra você.
Angela disse…
Olá Elisa,
Lindas flores e carpas,máquina fotográfica japonesa né? Deu pra ver até as carpas, rsrsrs!
Hum, esse blog está ficando apetitoso demais, uns pratos que dão água na boca.
Bjs
Mônica disse…
Elisa

Agora que eu vi o seu recadinho.
E adorei.
Estou ja em minha casa em Santo AntOnio do Amparo para participar dos festejos do dia da cidade que dia 12 e dia 13 dia do Padroeiro.
Vou rezar ate, mas as noites prometem ser fria.
O Tobias e seu filho iam ser bons amigos por causa dos gosto pela pitza.
Ele detesta carne de frango.
Com carinho
Um bom feriado.
Ha! Sera que ai e feriado? De corpus Chirstie?

Em SA tudo vai parar ate domingo.
Com amizade Monica
Obrigada pela atencáo
Este computado e mais velho de tudo. Eu coloquei para funcionar porcausa das crinças que estáo vindo todo fim de semna para a casa da vovo.
O meu eu levei para BH
Ate amanha.
Vou na barraquinha arrematar uma prendas.
Elisa no blog disse…
Oi Mônica,
Essa receita é interessante. O tema do programa de TV era uma receita para fazer só com ingrendientes que as pessoas tem em casa como batata, tomate, queijo. O camarão eu inventei porque na receita original vinha com presuntada. Não sei se ainda tem no Brasil.
Sempre pensei que dessem naturalmente, mas esse ano descobri que eles plantam íris. Eles estavam enfileirados.
beijos,
Elisa
Elisa no blog disse…
Oi Lisa,
Bem-vinda (com hífen ou sem?)ao blog. Fiquei muito contente com a sua visita. Já fui visitar o seu, que é muito legal.
Vc conheceu a MÔnica e Andrea pela internet?
Fui ver o site que vc recomendou do Gokan. Muito bonito e interessante.
Se vc gosta da cultura japonesa venha me visitar sempre. Seja bem-vinda.
beijos,
Elisa
Elisa no blog disse…
Oi Angela,
Que bom que deu até para ver as carpas.
Como faço muita comida, estou procurando postar mais. Espere mais um pouco pela receita da pizza, ainda estou elaborando...
beijos,
Elisa
Elisa no blog disse…
Oi Mônica,
Agora vi seu outro comentário.
Aqui não vai ser feriado em Corpus Christi. Nem Natal é feriado porque o Japão não é um país cristão. Acredita? Mas tem outros feriados diferente como Dia do Aniversário do Imperador, Dia do Verde, dia da Constituição, etc...

Depois me conte como foi o feriado, as festividades e atividades. Vou ver no seu blog.

beijos,
Elisa

Postagens mais visitadas deste blog

7. Guêr ou ger, tenda-vivenda da Mongolia

Hoje vou mostrar como se monta uma tenda ou casa mongol. Ela se chama ger (guêr). Construir o ger fazia parte desta nossa viagem.
Na época que eu fui a temperatura estava entre 10 a 15 graus de manhã e a noite. Durante o dia estava entre 20 e 25 graus. Foi agradável e deu para fugir um pouco desse calor infernal que está fazendo no Japão esse ano.
Primeiro coloca-se a porta e estrutura da parede.
Em seguinda monta-se o pilar central dentro do ger. Colocam a base do teto. Olhem que gracinha esse menino no centro da foto.
Não sei se esse garotinho queria ajudar ou brincar, mas lá estava ele escalando a grade.
O esqueleto do ger é coberto com pano e cobertor de lã de camelo.
Cobrem o teto e paredes com tecidos grossos para proteger do frio. O menino ainda está lá.







Cobrem com o tecido branco característico de todos os gers. Meu filho quando pequeno também era assim, queria ajudar em tudo. Aliás, ele ajudou muito para fazer esse ger. E gostou da experiência.
Fiquei refletindo. Nós das cidades quando const…

8. Mongolia: roupas e comida

Hoje vou falar da roupa e comida da Mongólia.
Eu sei que Mongólia tem acento. Mas no título não coloquei de propósito porque assim, podem fazer um hit em inglês e pelo menos poderão ver as fotos. Já com acento acho que não aparecerá nas buscas em inglês.
A roupa que as mulheres estão usando se chama dêr. É longo, quentinho, protege bem do frio.
Com essa roupa as mulheres podem se afastam um pouco do ger (tendas) e vão fazer xixi. Elas se agacham e o dêr cobre tudo. Muito prático. Dá até para andar a cavalo.

A roupa típica dos nômades para homens também se chama dêr. O Dêr dos homens não é estampado como das mulheres. Esses dois homens, o do centro e do lado esquerdo usam dêr cinza com faixas coloridas. O homem da foto abaixo usa dêr azul. Na cabeça usam boné ou chapéu tipo ocidental. Eu acho que chapéu e bonê não combinam com o dêr. Mas o chapéu típico é assim: Imagine a metade de um coco. Em cima do coco, bem no meio fica um chifre comprido com uma bolinha na ponta. É meio esquisito, acho que por i…

Verduras no vapor

Ultimamente tenho usado essa cuscuzeira para cozinhar verduras e legumes. No vapor. Sempre achei que demorava muito para fazer batatas cozidas. Leva todo o tempo de esquentar a água. No vapor vai muito mais rápido. Depois da batata, experimentei cozinhar abóbora como na foto. Deu certo com vagem, espinafre (horensô), batata doce, quiabo, aspargos, etc.
É mais rápido, ecológico e as verduras ficam mais gostosas. Acho que perdem menos nutrientes porque eles não vão embora junto com a água do cozimento. Adoro soluções assim, boas em muitos sentidos.
Comprei essa cuscuzeira em São Paulo. Vc pode encontrar em casas do norte, que são lojas de produtos do nordeste. Lá no nordeste essa panela é muito usada para fazer cuscuz.
No começo eu só usava para fazer cuscuz. Hoje uso também para cozinhar verduras no vapor.